Prefeitura gasta mais de R$ 100 mil para oficina de panificação com atividades suspensas

Prefeitura gasta mais de R$ 100 mil para oficina de panificação com atividades suspensas

A Prefeitura de Boa Vista publicou no Diário Oficial do Município (DOM) desta sexta-feira, 21, um extrato de contrato cujo objeto visa a aquisição de gêneros alimentícios (perecíveis e não perecíveis) a fim de atende as necessidades da oficina de panificação do Projeto Crescer, pertencente à Secretaria Municipal de Gestão Social (Semges).

O contrato custará aos cofres públicos o valor total de R$ 104.621,28, proveniente de recursos próprios do município. A duração será de pouco mais de seis meses, até 31 de dezembro de 2021.

Chama atenção o fato de que, desde o início de fevereiro deste ano, os integrantes do Projeto Crescer participam apenas de cursos online durante o período de pandemia, sob monitoramento dos instrutores do projeto, enquanto as oficinas profissionalizantes e das atividades de geração de renda estão suspensas.

A empresa vencedora que arrematou os três lotes do pregão eletrônico é a R N DA S BOTELHO EIRELI EPP, que possui sede em Boa Vista e foi fundada em abril de 2018. A empresa tem como principal atividade econômica “comércio atacadista de produtos” e possui capital social de R$ 480 mil.

Lotes- Os gêneros alimentícios adquiridos para atender à oficina de panificação do projeto foram divididos em três lotes, sendo o primeiro no valor de R$ 63.825,16 contendo alimentos não perecíveis, como açúcar, amido de milho, azeitona, batata palha, chocolate, cogumelo, fermento, leite condensado, palmito, uva passa e cereja em calda.

O segundo lote, cujo valor total é de R$ 5.151,55, lista alimentos perecíveis como kiwi fruta, maça, macaxeira in natura, polpas de frutas, entre outros. Já o terceiro lote, que possui valor total de R$ 35.773,65, trata da compra de carnes de frios, como bacon defumado, carne bovina, peito de frango, linguiça calabresa, presunto suino, queijo e salsicha.

Crescer – O projeto, que está com as atividades suspensas e apenas com aulas online, atende 350 jovens entre 15 e 21 anos, distribuídos em nove oficinas: Modas e Artesanato, Panificação, Serigrafia, Informática, Educação Para o Trânsito, Compostagem, Cultura e Lazer, Marcenaria e Oficina de Convivência. Todos recebem uma bolsa mensal no valor de R$ 180, fardamento e atendimentos psicossocial.

Outro lado- A reportagem do Política Macuxi entrou em contato com a Prefeitura de Boa Vista solicitando posicionamento sobre a contratação e aguarda retorno.

Deixe uma resposta