Cristovão Suter é eleito novo presidente do TJRR

Cristovão Suter é eleito novo presidente do TJRR

A chapa encabeçada pelo desembargador Cristovão Suter e desembargador Jesus Nascimento venceu a eleição do Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) e, por isso, serão presidente e vice-presidente, respectivamente, para o biênio 2021/2022.

Além de Suter, foram inscritos na chapa, a desembargadora Tânia Vasconcelos para o cargo de corregedora-geral de Justiça. Já a desembargadora Elaine Bianchi foi a única inscrita para a direção da Escola do Judiciário. O ouvidor geral será o desembargador Ricardo Oliveira.

No TRE, o desembargador Leonardo Cupello assume o cargo tendo como vice presidente o desembargador Mozarildo Cavalcante. Eles foram indicados pelo Tribunal de Justiça e a eleição ocorrerá no órgão eleitoral, mas o TRE também poderá fazer a própria indicação.

O pleito ocorreu em sessão administrativa onde todos os juízes vitalícios votaram para escolher presidente e vice, enquanto a escolha de corregedor, ouvidor e diretor ficou a cargo exclusivo dos desembargadores.

A chapa venceu com 48 votos, 1 abstenção e 2 votos em branco. O mandato dos eleitos terá início em fevereiro de 2021.

O presidente da comissão eleitoral, desembargador Almiro Padilha, parabenizou os candidatos inscritos, bem com destacou a união entre os desembargadores em prol dos jurisdicionados.

“A nova Mesa Diretora foi eleita em total harmonia e vai conduzir o TJ com muito empenho e dedicação, em prol de uma justiça eficiente e social, como temos feito todos nós nesse Tribunal”, ressaltou.

Perfil
Cristóvão José Suter Correia da Silva, filho de Americo C. da Silva Filho e Alzira Suter da Silva, nasceu no dia 25 de maio de 1970, em Centenário do Sul (PR).

Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Alta Paulista, turma 1992; ingressou na magistratura em 14 de novembro de 1996, como Juiz Substituto, sendo promovido em 11 de dezembro de 1998 Juiz de Direito da Comarca de Mucajaí. Em 03 de março de 2016 foi promovido ao cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima.

 

Deixe uma resposta