ELEIÇÕES 2020 <br/> Após convenções, 10 candidatos permanecem na disputa pela Prefeitura de Boa Vista

ELEIÇÕES 2020
Após convenções, 10 candidatos permanecem na disputa pela Prefeitura de Boa Vista

Com o fim das convenções partidárias, que iniciaram no dia 31 de agosto e foram encerradas nesta quarta-feira, 16 de setembro, o cenário da corrida pela Prefeitura de Boa Vista ficou definido e a disputa ainda mais acirrada.

Em junho, ainda no início da pré-campanha, 17 pessoas apresentaram seus nomes como pré-candidatos à prefeito. Eram eles: Arthur Henrique e Zélio Mota (MDB), Abel Galinha (DEM), Fábio Almeida (Psol), Gerlane Baccarin (Progressistas), Pastor Isamar (Podemos), Jeferson Alves e Mozarildo Cavalcanti (PTB), Linoberg Almeida (Rede), Luciano Castro (PL), Marcos Jorge (Republicanos), Nicoletti (PSL), Ottaci (SD), Rudson Leite (PV), Shaolyn (PMN), Shéridan (PSDB) e Zé Haroldo (PSD).

Após as convenções dos partidos que homologaram as candidaturas para o pleito e negociações entre alguns concorrentes que desistiram de suas candidaturas para se unir a outras chapas como vice, ou apenas fortalecê-las, apenas 10 candidatos restaram na disputa: Ottaci, Arthur, Shéridan, Linoberg, Gerlane, Nicoletti, Luciano, Isamar, Shaolyn e Fábio.

Desistentes

Após o partido da prefeita Teresa Surita, o MDB, optar por apoiar a candidatura do vice-prefeito, Arthur Henrique, o líder do partido na Câmara Municipal de Boa Vista, vereador Zélio Mota, foi o primeiro a deixar a corrida pela Prefeitura.

Já no PTB, um racha interno entre o presidente regional do partido, deputado estadual Jeferson Alves, e o ex-senador Mozarildo Cavalcanti, fez com que a sigla ficasse sem candidato na eleição majoritária.

O parlamentar desistiu de sua candidatura para fortalecer a chapa de Ottaci, enquanto o ex-senador ficou impedido de concorrer por não ter finalizado o processo de filiação junto ao partido.

O presidente do Partido Verde (PV), Rudson Leite, que era um dos pré-candidatos ao cargo majoritário, deixou para o último dia de convenção a decisão de desistir para apoiar a candidatura de Linoberg Almeida.

Outros três pré-candidatos, Marcos Jorge, Abel Galinha e Zé Haroldo, também desistiram para apoiar a chapa do PSDB de Shéridan. Inicialmente, Marcos Jorge havia sido escolhido para ser o vice, mas no último dia de homologação das candidaturas anunciou que abriria mão do posto para dar lugar a Zé Haroldo.

 Chapas ‘puro sangue’ em mais da metade das candidaturas

Dos 10 candidatos que permanecem no tabuleiro eleitoral e tentarão chegar ao Palácio 9 de julho, seis optaram por uma chapa ‘puro sangue’, quando candidato e vice são do mesmo partido.

Desses, apenas o MDB de Teresa Surita e Romero Jucá, cujo o candidato Arthur Henrique terá como vice a ex-chefe de gabinete da prefeita, Edileusa Loz, conseguiu arregimentar alianças com outros partidos. São eles: Avante e Partido da Mulher Brasileira (PMB).

Já no cenário dos partidos políticos que não se coligaram com outras siglas estão o deputado federal Antonio Nicoletti (PSL), que terá como vice a odontóloga Lidiane Vanderlei; o ex-deputado federal Luciano Castro (PL), cuja a vice será a professora Lidiane Corrêa; o pastor Isamar Ramalho, que escolheu como vice o major da PM, Overlan Alves. Também formaram chapa ‘puro sangue’ os candidatos Fábio Almeida (PSOL), que terá ao seu lado a microempreendedora Thiana Tataíra como vice; e Shaolyn Gomes (PMN), que terá como vice a médica pediatra Adriana Casselli.

 Maiores alianças

No atual cenário vigente, cinco candidatos conseguiram arregimentar alianças fortes com outros partidos.

O que tem maior apoio político na capital é o pré-candidato Ottaci, com 11 partidos arregimentados pelo presidente da Assembleia, Jalser Renier, do Solidariedade, e que fecharam apoio nesta disputa a ele e sua vice Lenir Rodrigues, do Cidadania. São eles: PRTB comandado por Coronel Chagas, PTC dirigido por Dhiego Coelho e Thiago Fogaça, PSC de Frankembergen Galvão; PSB de Iradilson Sampaio; Patriota de Francisco Araújo;  PROS de Juscelino Pereira, DC de Roberto Lopes; PTB e PT dos deputados Jeferson Alves e Evangelista Siqueira, respectivamente.

O palanque da esquerda terá como principal candidato o vereador Linoberg Almeida (Rede), tendo como apoio o PC do B, partido de seu vice, o também vereador Weslley Thomé. Após decisão do diretório nacional, a chapa foi fortalecida com o apoio do Partido dos Trabalhadores (PT), sigla que terá o maior tempo de rádio e TV na propaganda eleitoral.

A deputada federal Sheridan, que até então tinha o apoio do Republicanos do senador Mecias de Jesus, conseguiu nesta semana fechar aliança com o DEM, do senador Chico Rodrigues e do ex-deputado federal Abel Galinha, e com a PSD, do deputado federal Zé Haroldo, que indicou seu filho, Zé Haroldo Cathedral, como vice.

O Progressistas da candidata Gerlanne Baccarin se aliou ao PDT da ex-senadora Angêla Portela, que indicou como vice na chapa o professor universitário Eduardo Matias.

Apesar de ter o apoio da prefeita, Teresa Surita, e do ex-senador Romero Jucá, Arthur Henrique se aliou apenas com o PMB e o Avante.

Deixe uma resposta