Defesa de médicos entrou com habeas corpus para impedir operação da Polícia Civil

Defesa de médicos entrou com habeas corpus para impedir operação da Polícia Civil

Antes mesmo de os agentes da Polícia Civil iniciarem a operação na manhã de hoje, 28, a defesa de 11 médicos da Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde (Coopebras) ingressou no Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) com habeas corpus preventivo com pedido de liminar para impedir que a operação fosse realizada.

O habeas corpus, o qual o Política Macuxi teve acesso, foi impetrado ainda na noite de quinta-feira, 27, durante o Plantão do TJRR. Os advogados dos investigados solicitaram a suspensão de qualquer mandado de prisão e/ou de busca e apreensão já expedidos nos autos dos Inquéritos Policiais, impedindo qualquer coação ou restrição da liberdade dos pacientes.

O pedido foi negado pelo desembargador plantonista Leonardo Cupello, que alegou absoluta ausência de prova de violação de direito de locomoção ou da iminência de violação, durante o Plantão Judicial.

Outro lado-

Ao Política Macuxi, o advogado de defesa dos médicos, Dr. Andreive Ribeiro, alegou que a emissão de mandado de prisão agora, depois de 5 anos de investigação e da realização de duas operações de busca e apreensão anteriores, é um ato de perseguição e um atentado à dignidade dos investigados.

“Uma vez que sempre tiveram à disposição para prestar os esclarecimentos necessários, inclusive já ouvidos pela Polícia Civil”.

Governo afirma que promoverá alterações no modelo de prestação de serviço

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social do Governo de Roraima informou que, após a operação do Grupo de Combate aos crimes contra a Administração Pública na Cooperativa de Médicos (Cooperbras), a Sesau (Secretaria de Saúde) promoverá a alteração do modelo de prestação desses serviços. Durante esse período de transição, acompanhará a gestão dos plantões e serviços médicos prestados pelos profissionais contratados direta e indiretamente.

Explicou que a Cooperbras tem contrato de prestação de serviço com a Sesau com a mão de obra de médicos nas unidades hospitalares do Estado.

“Nesse sentido, o Governo de Roraima informa que está à disposição da Justiça para colaborar no que for necessário para combater qualquer prática ilícita no âmbito da administração pública”, destacou.

Operação

O Grupo de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Graco), da Polícia Civil, está realizando na manhã desta sexta-feira, 28, uma operação contra a Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde (Coopebras).

Segundo informações obtidas pelo Política Macuxi, a operação teve parecer favorável do Ministério Público Estadual (MPRR), e cumpre 35 mandados de busca e apreensão, além de 11 mandados de prisão contra diretores da cooperativa e seus funcionários.

Deixe uma resposta