Polícia Civil faz operação contra cooperativa de médicos

Polícia Civil faz operação contra cooperativa de médicos

A Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Administração Pública (DRCAP), da Polícia Civil, está realizando na manhã desta sexta-feira, 28, uma operação tendo como alvo a Cooperativa Brasileira de Serviços Múltiplos de Saúde (Coopebras).

Segundo informações obtidas pelo Política Macuxi, a operação teve parecer favorável do Ministério Público Estadual (MPRR), e cumpre 35 mandados de busca e apreensão, além de 11 mandados de prisão contra diretores da cooperativa e seus funcionários.

Os mandados estão sendo cumpridos em vários locais, entre eles na sede da cooperativa e na residência de alguns diretores.

A operação é decorrente do inquérito policial instaurado em 2019 pela Delegacia de Crimes Contra a Administração Pública (DRCAP), considerando uma notícia crime apresentada pela Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança Pública.

À época, foram apurados que vários funcionários da cooperativa não cumpriam a carga horaria contratada no todo ou em parte, para cumprir jornada de trabalho e consultórios ou universidades públicas e particulares, e recebendo contraprestação de dinheiro público pelo serviço não executado.

O inquérito apurou supostas irregularidades envolvendo os médicos, com análise de escalas de plantão a cargas horarias de um período específico, maio de 2015, que tinha como foco a apuração do envolvimento de médicos no caso, além do envolvimento de membros diretores da Coopebras.

Governo-

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social do Governo de Roraima informou que após a operação do Grupo de Combate aos crimes contra a Administração Pública na Cooperativa de Médicos (Cooperbras), a Sesau (Secretaria de Saúde) promoverá a alteração do modelo de prestação desses serviços. Durante esse período de transição, acompanhará a gestão dos plantões e serviços médicos prestados pelos profissionais contratados direta e indiretamente.

Explicou que a Cooperbras tem contrato de prestação de serviço com a Sesau com a mão de obra de médicos nas unidades hospitalares do Estado.

“Nesse sentido, o Governo de Roraima informa que está à disposição da Justiça para colaborar no que for necessário para combater qualquer prática ilícita no âmbito da administração pública”, destacou.

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta