‘União’ é a palavra de ordem em Abertura de Hospital de Campanha

‘União’ é a palavra de ordem em Abertura de Hospital de Campanha

Em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira (19) pela Operação Acolhida, do Exército Brasileiro, representantes dos três Poderes, de instituições públicas e privadas e organizações não governamentais reforçaram a importância da Área de Proteção e Cuidados, mais conhecida como Hospital de Campanha, no tratamento e combate ao coronavírus.

Um dos pontos comuns entre as falas foi a união das instituições e Poderes. Este foi o tom do discurso do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jalser Renier (SD). Ele relembrou a audiência pública ocorrida na última quarta-feira (17) com a presença de mais de 30 autoridades e instituições de Roraima, e relembrou que este é um momento histórico para Roraima. “A Assembleia Legislativa não se importou em buscar alternativas. Não é uma luta fácil e nem um momento fácil, e precisamos da União de todos”, frisou o presidente.

O governador Antônio Denarium (sem partido) comentou que um dos principais desafios para a abertura da unidade foi a contratação de pessoal. “Vamos começar com 386 profissionais e chamar, com o tempo, mais de 2 mil”.

O Hospital de Campanha atenderá inicialmente 80 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e de enfermaria. “Dentro deste trabalho contratamos um cargueiro da Azul [empresa aérea] que vai sair de São Paulo com 100 toneladas de medicamentos e equipamentos semanalmente para atender a população”, informou o governador.

A parceria dos Poderes foi elogiada pelo coordenador da Operação Acolhida, general Antônio Barros, que mencionou ainda apoios como o do Hospital Sírio Libanês e Banco Itaú e o Ministério da Saúde, bem como o grupo Samel, este último fruto de articulação da Assembleia Legislativa. “Neste momento, tenho certeza que nós vamos avançar”.

O coordenador apresentou dados sobre as demandas do Hospital, como a contratação de profissionais ao longo da ampliação dos leitos, insumos e equipamentos para manter a estrutura e o funcionamento. “Para 80 leitos, somente no corpo clínico e administrativo quase 500 pessoas trabalhando” e com o aumento esse número pode ultrapassar de 2 mil pessoas.

Também participaram da entrevista coletiva instituições como a Defensoria Pública (DPE), Universidade Federal de Roraima (UFRR), Ministério Público de Roraima (MPRR) e Prefeitura de Boa Vista.

UBS -A prefeitura anunciou que  fará a instalação de uma unidade básica de saúde dentro da Área de Proteção e Cuidados (APC) do Hospital de Campanha, para reforçar os atendimentos aos casos suspeitos e pacientes acometidos pela covid-19 que apresentem sintomas mais leves da doença.

“ Tenho certeza que será um reforço muito importante nesse momento difícil que estamos passando”, disse Teresa Surita

Transferências

Doze pacientes com covid-19 já estão no Hospital de Campanha. Na próxima semana serão transferidos mais pacientes até completar 80 leitos. Em seguida, serão abertos mais 174 leitos.

As primeiras transferências foram realizadas na noite desta sexta-feira (19) e foram acompanhadas pelo deputado estadual Jalser Renier (SD), governador Antônio Denarium, deputado federal Ottaci Nascimento (SD), e pelo secretário estadual de Saúde Marcelo Lopes. Também acompanharam o procedimento os deputados estaduais Coronel Chagas (PRTB), Neto Loureiro (PMB), Renato Silva (Republicanos), Betânia Almeida (PV) e a vereadora Aline Rezende.

Deixe uma resposta