Governo afirma que fará leilão ou cessão onerosa dos silos de grãos

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Uma mensagem governamental do dia 18 de junho assinada pelo governador Antônio Denarium (Sem Partido) pede que a Assembleia Legislativa de Roraima (Alerr) aprove o projeto de lei que autoriza a venda do complexo Agroindustrial Silos Graneiros do Monte Cristo, localizado na zona Rural de Boa Vista.

O complexo de armazenamento de grãos foi construído no ano de 2001 e cedido no ano seguinte por meio de comodato à empresa Grão Norte, gerida por produtores de soja do Estado.

Conforme o governo, o termo de cessão do complexo à Grão Norte foi renovado diversas vezes, sendo a última, em 2017, cancelada após terem sido constatadas diversas irregularidades no procedimento.

O local vinha sendo usado para guardar grãos de produtores, mas no início do ano, foi alvo de denúncias por conta do desvio de milhares de sacas de grãos.

O prejuízo milionário teria atingido vários produtores de Roraima, entre eles o próprio governador, que retomou a administração dos silos em abril deste ano.

Em entrevista exclusiva ao site Política Macuxi, o governador Antônio Denarium afirmou que o governo de Roraima vai fazer leilão ou cessão onerosa dos silos, se for autorizada a venda pela Assembleia Legislativa.

Ele explicou que não é função do governo armazenas grãos e que a estrutura estava cedida sem nenhum ganho para o estado.

“Os silos são do governo e administrar armazenagem de grão não é função do governo. Governo tem que cuidar de saúde, educação, infraestrutura e não armazenagem de grãos. Se não houver interessados no leilão, vamos alugar, mas para o governo ganhar com aluguel e não de graça como vinha sendo feito” explicou Denarium.

Grão Norte

O governador explicou que a iniciativa de levar o complexo a leilão já tinha sido tomada pelo governo antes mesmo da cooperativa Grão Norte desaparecer com os grãos.

“Independente da Grão Norte ter desvio de conduta, venceu o contrato de cessão de uso no começo do ano e não íamos renovar de graça. Temos que zelar pelo patrimônio público e pelas finanças do governo”

“Foi feita denúncia no Ministério Público e a Polícia Civil abriu inquérito para levantar as irregularidades. Mas mesmo que eles não tivessem desviado os grãos nós íamos nos desfazer desse complexo, pois o governo não recebia nada da cooperativa e não é nossa função fazer esse armazenamento”

O governador disse ainda que está sendo feito um levantamento na Seapa de estrutura que não vem sendo usada ou estiver abandonada para ser leiloada.

Complexo armazena 36% dos grãos do Estado

A capacidade de armazenamento dos silos no complexo do Monte Cristo é de 27 mil toneladas, ou cerca de 540 mil sacas de grãos, permitindo que a produção de aproximadamente 9 mil hectares de soja, ou 4 mil hectares de milho sejam armazenadas e conservadas.

Em 2019 foram semeados cerca de 40 mil hectares de soja e 15 mil hectares de milho, produzindo em torno de 120 mil e 95 mil toneladas respectivamente. Para 2020 estima-se que a área semeada apenas com soja aumente 20 a 27% ficando entre 50 mil a 55 mil hectares.

Sumiço de 200 mil sacas de grãos gerou prejuízo de R$ 15 milhões

O sumiço de 200 mil sacas de grãos que estavam no depósito até então gerido pela Cooperativa Grão Norte, gerou um prejuízo que pode chegar até R$15 milhões.

Sob suspeita estariam os diretores os diretores da própria empresa. Entre as vítimas estão os principais produtores do Estado, entre eles o governador Antonio Denarium.

Entre os prejudicados está o avicultor João Firmino Mesquita, que denunciou a um jornal local o desaparecimento de aproximadamente 44 mil sacas de grãos do depósito situado no complexo de silos, sendo 33 mil de milho e 11 mil de soja.

O produtor, que utiliza o depósito há pelo menos cinco anos, informou que pagou pelo armazenamento e nunca teve problemas para retirar os produtos do local. Só ele estima ter tido um prejuízo de R$ 2,6 milhões.