Inauguração do hospital de campanha é adiada pela 4ª vez e vira denúncia no Jornal Nacional
Hospital de Campanha (Foto: Comunicação Operação Acolhida)

Inauguração do hospital de campanha é adiada pela 4ª vez e vira denúncia no Jornal Nacional

Do lado de fora, a estrutura entregue pelo Exército no dia 26 de março parece pronta. Mas dentro, faltam equipamentos e profissionais de saúde.

Segundo a comunicação da Operação Acolhida, a responsabilidade do Exército era infraestrutura e serviços administrativos gerenciais, o que já estaria pronto.

O governo do Estado e a Prefeitura de Boa Vista, em menor parte, deveriam entrar com corpo clínico, insumos hospitalares e alguns serviços;

Outro parceiro seria a Universidade Federal de Roraima, que ficou com a capacitação da equipe de saúde.

“A Área de Cuidados (AC) está com suas estruturas físicas prontas para 80 leitos e já conta com sua diretoria trabalhando no local. Foram iniciados os trabalhos para ampliação para mais 702 leitos, totalizando 782 leitos. O início do atendimento da AC está na dependência dos insumos e da equipe de saúde, que devem ser disponibilizados pelo Poder Público de Roraima”.

A situação que aumenta a chance de Roraima entrar em caos por conta da Pandemia do Coronavírus foi denunciada no Jornal Nacional.  (Veja o Vídeo)

Governo diz que fará contratação de pessoal e equipamentos

A reportagem entrou em contato com o Governo e com a Prefeitura para saber seus posicionamentos sobre o hospital.

O governo informou que o atraso foi por conta da falta de assinatura de um termo de cooperação técnica entre o Governo de Roraima e o Comitê Federal de Assistência Emergencial, o que teria ocorrido na última quarta-feira, dia 13.

“Antes disso não era possível, por não haver amparo legal. Esse termo assegura que o Governo e o Exército possam trocar patrimônio, receber apoio mútuo, logístico e aporte para fortalecer o combate à pandemia em Roraima.

A Sesau já identificou as necessidades para promover o funcionamento de 80 leitos inicialmente e, para garantir a efetiva implantação da APC, a gestão fará processo de contratação imediata do corpo clínico, nas modalidades de cooperativa e processo seletivo. Também será feito o contrato na modalidade dispensa de licitação, para chamamento público de fornecedores de insumos, medicamentos e material médico-hospitalar.

O objetivo é adquirir todos os EPIs e insumos para atender à demanda e serão repassados para a APC inicialmente 20 ventiladores mecânicos”

Segundo o governo, o chamamento será aberto para empresas nacionais e deve ser realizado até o final desta semana.

Prefeitura afirma que já fez sua parte

Já a Prefeitura de Boa Vista informou que, de acordo com as competências de responsabilidades, o pactuado na parceria entre Exército Brasileiro e já foi cumprido.

“A prefeitura atendeu com repasse de materiais, cedeu equipamentos, executou obras de infraestrutura como terraplanagem, asfalto, banheiros químicos e iluminação e também realizou seletivo para contratação de 111 técnicos de enfermagem”.

Também informou que o município repassou 20 leitos, 2 respiradores para a UTI, Suportes para soros, 4 Cilindros, 54 Biombos, 124 suportes para soros, 14 cadeiras para coleta de sangue, 10 negatoscópio, 10 bebedouros conjugados, 10 balanças antropométrica infantil.

Teria repassado ainda 10 esfigmomanômetro adulto e 15 esfigmomanômetro infantil, 04 cilindros de gases medicinais, 13 colchões, 02 ventiladores, 13 berços, Medicamentos, Insumos e material médico hospitalar

CONTAMINADOS E MORTOS

Enquanto isso, o número de casos segue aumentando: são mais de 1,7 mil contaminados por coronavírus e 49 mortes e o isolamento continua baixo em Roraima, pois tanto o estado e a prefeitura vêm flexibilizando o isolamento social.

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta