Soldado Sampaio espera que Casa de Governo seja um sucesso

Crédito:

Compartilhe:

O presidente da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), deputado Soldado Sampaio (Republicanos), agradeceu a vinda da comitiva governamental que veio inaugurar a “Casa de Governo” .

O investimento total para manter o espaço até 2026 chega a quase R$ 1,2 bilhão, valor que precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional por se tratar de recursos extras.

Segundo Sampaio, alguns dos assuntos fazem parte do cotidiano dos roraimenses há décadas e merecem atenção do governo federal.

“ Esperamos que a Casa de Governo tenha sucesso, nos colocamos à disposição para atender às necessidades da população, como ocorreu recentemente com a aprovação da doação do Hospital das Clínicas para a implementação do Hospital Federal Universitário”, declarou o chefe do Legislativo.

Participaram do evento os ministros Ricardo Lewandowski (Justiça), José Múcio (Defesa), Sonia Guajajara (Povos Indígenas), Nísia Trindade (Saúde), Wellington Dias (Desenvolvimento e Assistência Social), Esther Dweck (Gestão e Inovação), Marina Silva (Meio Ambiente), Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar) e Jorge Messias (AGU), além de representantes de outros órgãos federais

Saúde indígena

Durante a cerimônia, a ministra da Saúde, Nísia Trindade, mencionou que serão construídos dois blocos anexos ao Hospital Federal Universitário para atender a população indígena. Serão investidos cerca de R$ 100 milhões, oriundos do Fundo da Amazônia. Ela disse ainda que a saúde yanomami precisa de mais atenção.

“Entendo que ainda há uma emergência. Estamos aqui para estabelecer medidas mais estruturantes e de forma permanente. No ano passado, foi possível ampliar as equipes de saúde. [Mas] reconhecemos que ainda não chegamos a todas as regiões, mas para que as equipes cheguem é preciso uma segurança. Por isso, esse trabalho em conjunto e permanente”, declarou a ministra, ao acrescentar que até o fim de 2024 serão mais de 60 médicos atendendo na Terra Yanomami.

O ministro da Casa Civil da Presidência da República, Rui Costa, afirmou que a Casa de Governo vai ser um ambiente onde as ações serão coordenadas com lideranças indígenas, prefeitos dos municípios de Roraima e o governo do Estado. “Sem lado político, sem perguntar em quem votou ou deixou de votar”, complementou.

Queimadas

Um dos assuntos mencionados na coletiva de imprensa foram as queimadas. Até esta quinta-feira, Roraima tinha 8 dos 10 municípios com o maior número de focos de calor, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). São eles: Caracaraí (417), Mucajaí (400), Rorainópolis (279), Amajari (261), Iracema (203), Alto Alegre (160), Caroebe (145) e Boa Vista (141).

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, lembrou que, apesar dos esforços do Estado, o combate às queimadas é um dever de todos. Ela anunciou que na terça-feira (5) haverá uma reunião interministerial com o governo estadual para discutir um plano de controle do desmatamento e das queimadas em Roraima, que está sob estado de emergência reconhecido pela União.

“Temos a maior estiagem dos últimos 24 anos e mantemos um acompanhamento 24 horas por dia. Não medimos esforços, estamos com cerca de 253 brigadistas na linha de fogo e quatro aeronaves no combate ao fogo e ao garimpo. Vamos trabalhar conjuntamente. Na próxima semana, vamos ter uma reunião com alguns ministérios e o governo de Roraima, porque os agricultores são prejudicados, as pontes estão sendo destruídas”, acrescentou Marina.

O ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, falou ainda sobre o combate ao garimpo e outros delitos ambientais, o que inclui os desmatamentos e as queimadas ilegais. Ele frisou também que a Casa de Governo é resultado de diversas reuniões, e não “algo improvisado, feito nas últimas horas”. Por fim, garantiu que vai combater os crimes no Estado em todas as suas vertentes.

“Nossos esforços são para combater a criminalidade em todos os níveis, trazer agentes de outros estados da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional para proteger o meio ambiente e garantir a segurança da população indígena. Vamos intensificar o trabalho para que esses crimes contra a humanidade sejam efetivamente atacados e coibidos. Na minha gestão, temos a intenção de unificar as seguranças federal, estadual e municipal, para troca de inteligência e ações conjuntas”, destacou.

 

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE