OPERAÇÃO VERÃO SEGURO

Governo proíbe queimadas no Estado por tempo indeterminado

Crédito:

Compartilhe:

O Governo de Roraima anunciou a suspensão imediata do ciclo oficial de queimadas por conta da estiagem. A medida, efetivada pela Femarh (Fundação Estadual do Meio Ambiente e Meios Hídricos), que coordena esse calendário, vale a partir desta quarta-feira, 21.

O objetivo é mitigar as consequências enfrentadas pela população por conta do período seco agravado pelo fenômeno El Niño.

A decisão foi tomada durante a reunião da Operação Verão Seguro com vários órgãos da estrutura direta e indireta por conta das queimadas que atingem vários municípios, como a capital Boa Vista e Amajari.

Segundo o diretor de Monitoramento e Controle Ambiental da fundação, Wilson Jordão, a medida é válida para o calendário de 2024 e seguirá até que uma nova análise seja realizada pelos técnicos do órgão. O 8° e último Ciclo de Queimadas ocorreu entre os dias 8 de novembro e 8 de dezembro.

“Essa decisão é conjunta. Os nossos técnicos responsáveis pelo monitoramento meteorológico, fizeram essa recomendação à presidência e, a partir disso, foi determinada a suspensão em todo o estado. Então, a partir de agora está proibida a autorização de queima até que haja uma melhora relacionada a esse fenômeno”, frisou.

Outras medidas que vêm sendo tomadas pela Femarh são o monitoramento diuturno do meio ambiente e campanha de educação ambiental, entre outras medidas, “para que as pessoas possam saber da importância de não queimar, além das medidas corretivas para que, quem queimar sem autorização, tenha as penalidades cabíveis”, conforme complementou Jordão.

Apoio Federal

Outras medidas que estão sendo tomadas, são o reforço da fiscalização e responsabilização sobre as queimadas ilegais, junto com outros órgãos estaduais e federais, como a Femarh (Fundação Estadual do Meio Ambiente e Meios Hídricos) e o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais), além de reforçar a parte logística da operação, com o apoio de todos os integrantes para a contenção de danos, a exemplo das secretarias que compõem o Executivo estadual.

Outra ação é a solicitação de apoio federal para minimizar danos, conforme adiantou o comandante do CBMRR (Corpo de Bombeiros Militares de Roraima), coronel Anderson Carvalho.

“Para o mês de março iremos aumentar nosso efetivo do Corpo de Bombeiros empregado diariamente para 150 homens, com possibilidade de aumentar ainda mais. Também iremos solicitar o apoio federal para minimizar os danos, e ter auxílio para a operação. A população pode e deve apoiar o combate aos efeitos da estiagem, que atinge a todos. Essa responsabilidade passa por não colocar fogo, denunciar as pessoas que estão ateando fogo em áreas rurais e urbanas, além de ter o cuidado com a água e não desperdiçá-la de forma supérflua. Essa estiagem está sendo muito longa e a preocupação de cada um com o desperdício é importante”, explicou Carvalho.

Forte Estiagem

O governador Antonio Denarium salientou que o momento é crítico e, por conta disso, a gestão tem atuado em todas as frentes possíveis de combate e auxílio à população, mesmo com os desafios enfrentados durante a estiagem. Por conta disso, as novas medidas apresentadas na reunião e que serão efetivamente aplicadas.

“Esse tem sido um momento desafiador que enfrentamos em relação à forte estiagem. O Governo está preocupado em relação a esse fato e tem atuado como pode dentro do alcance institucional. Por isso, estamos fazendo grandes reforços para proteger e preservar o meio ambiente e mitigar os prejuízos causados pelas queimadas e pela seca, além de preservar a qualidade de vida da população e as propriedades públicas e privadas na capacidade das nossas instituições”, destacou.

Previsão do Tempo

O cenário de estiagem, com fortes temperaturas e um dos níveis mais baixos do Rio Branco, principal bacia hidrográfica do Estado, deverá continuar trazendo prejuízos para a população de Roraima até o começo do mês de abril, quando deverá ter início o período chuvoso em Roraima.

Até lá, deve haver registro de chuvas abaixo da normal climatológica, com precipitações pequenas concentradas nos setores sul e sudoeste do Estado, que devem amenizar, de certa forma, o clima nessas localidades, conforme previsto pelo meteorologista da Femarh, Ramon Alves. A primeira chuva deve ocorrer nos dias 25 e 26 deste mês.

“Nosso período chuvoso terminou em setembro, mas, entre agosto e setembro, nós tivemos baixas precipitações, inclusive recordes. Nisso, tivemos recordes de focos de fogo desde o ano passado. Porém, se analisarmos a questão do aquecimento dos oceanos Atlântico, Atlântico Norte e Pacífico, que ocasiona o El Niño, está começando a melhorar um pouco. As temperaturas estão começando a diminuir, mas temos ainda dois meses ainda de período seco, com baixas precipitações”, salientou Alves.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE