Agricultores do Truaru se regularizam em Mutirão de Licenciamento Ambiental

Ação ocorreu nesta semana na Escola Municipal Aureliano Soares da Silva, no P.A Nova Amazônia.
Crédito:

Compartilhe:

O mutirão de regularização e emissão de novos licenciamentos ambientais dos agricultores familiares continua em Boa Vista e já conta com mais de 120 atendimentos desde janeiro. Nesta quarta-feira, 21, a ação promovida pela prefeitura aconteceu na Escola Municipal Aureliano Soares da Silva, no P.A Nova Amazônia, região do Truaru, onde cerca de 60 produtores rurais foram atendidos.

O trabalho é feito em conjunto pelas secretarias municipais de Agricultura e Assuntos Indígenas (SMAAI) e de Meio Ambiente (SEMMA), que também já percorreram as regiões do Novo Passarão e Murupu. A última ação para a regularização e renovação do documento está marcada para o dia 28 de fevereiro, das 8h às 14h, no Centro de Difusão Tecnológica (CDT), localizado no Bom Intento, para atender os produtores daquela localidade.

“Essa ação da prefeitura tem facilitado a vida do produtor rural, sem precisar que ele se desloque para a cidade. Além disso, buscamos acelerar o processo de regularização das licenças ambientais de cada propriedade rural que se encontra em Boa Vista. O principal objetivo é estabelecer regras, condições, restrições e medidas de controle ambiental”, disse o secretário da SMAAI, Guilherme Adjuto.

Durante os atendimentos aos produtores, a SMAAI disponibiliza informações sobre os trabalhos desenvolvidos pela prefeitura, como o Plano Municipal de Desenvolvimento do Agronegócio (PMDA), o Programa de Irrigação e a solicitação de serviços de máquinas para o trabalho no campo.

“Esse mutirão também busca trazer diversos serviços da prefeitura para os produtores de Boa Vista. Por isso é necessário que o agricultor tenha o licenciamento ambiental para poder ter acesso a esses serviços que o município disponibiliza”, enfatizou Guilherme.

O produtor rural Antonio Macedo Filho, 65, mora há 12 anos na região do Truaru e é coordenador do projeto Tay Tay, desenvolvido pela prefeitura, que conta com o trabalho dos agricultores para a produção de pimentas artesanais. Além disso, ele também produz mandioca, macaxeira, abóbora, maracujá e batata.

“Esse mutirão que a prefeitura vem oferecendo para regularizarmos o licenciamento ambiental é um grande incentivo para darmos continuidade à nossa produção. Porque só o deslocamento até a cidade custa caro e, às vezes, não temos esse valor disponível para resolver essas questões. Só temos a agradecer”, afirmou.

Quem também apoiou a iniciativa foi a produtora rural Helena Rodrigues, 66, que mora na região do Truaru há 15 anos e produz uma variedade de alimentos como batata, feijão, maxixe e mandioca. “Estou feliz em poder renovar o licenciamento ambiental da minha propriedade, num lugar pertinho de casa. Esse é um serviço essencial que facilita bastante a nossa vida. Agora, vou poder solicitar uma máquina para escavar um poço e melhorar a irrigação da minha produção de alimentos”, disse a produtora.

COMBATE ÀS QUEIMADAS – Ainda durante a ação, uma equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente reforçou com os produtores sobre a prevenção contra queimadas e incêndios, durante o forte período de estiagem no município.

O produtor rural José Rocha, 67, aproveitou para pedir a conscientização da população no combate a esse tipo de crime ambiental. “Praticar queimadas é perigoso demais e tenho medo de perder a lavoura. Por isso, peço a colaboração para que as pessoas não ateiem fogo no campo”, ressaltou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE