Justiça acata denúncia e acusados viram réus por sequestro e tortura de jornalista

Crédito:
Nesta quarta-feira, 08 de junho, o juiz da 1ª Vara Criminal de Boa Vista, Cláudio Roberto de Araújo, recebeu a Denúncia do Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR) contra os acusados de terem cometido o sequestro e tortura do jornalista Romano dos Anjos, em outubro de 2020, fato investigado durante a Operação Pulitzer.
Na decisão, o magistrado manda citar e intimar os acusados para responderem à acusação no prazo de 10 dias.
O juiz também manteve a prisão preventiva dos suspeitos que agora passam a ser réus perante à justiça. “Os fatos narrados na denúncia são de extrema gravidade concreta e denotam a necessidade da manutenção da segregação cautelar dos acusados. O fato de os acusados estarem segregados há cerca de 8 meses, por si só, não demonstra haver excesso de prazo na persecução penal, pois o requisito do lapso temporal da prisão preventiva deve ser analisado de uma forma ampla, acobertando todas as peculiaridades do caso concreto”, argumentou o magistrado em trecho da decisão.
Os réus respondem pela prática de 07 crimes: Violação de domicílio qualificada, cárcere privado, roubo majorado, dano qualificado, constituição de milícia privada, tortura/castigo qualificada e sequestro qualificado.
O Ministério Público do Estado de Roraima atua no processo pela 1ª Promotoria de Justiça Criminal com o apoio do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE