Cuidadores fazem manifestação em escolas e creches da Prefeitura

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A terça-feira (22) foi marcada por protesto em frente às casas mãe e escolas proinfância da Prefeitura de Boa Vista.

Munidos com cartazes, cuidadores de alunos realizaram uma manifestação, para chamar a atenção do prefeito Arthur Henrique, quanto as condições de trabalho nessas unidades de ensino.

Também queria reclamar da ausência de profissionais para atender com qualidade as crianças, em especial aquelas que têm autismo ou Síndrome de Down.

Uma cuidadora de aluno, que pediu para não ser identificada, contou que existem diversos problemas estruturais nas escolas proinfâncias, que não são adequadas para que se faça um atendimento de qualidade às crianças.

“As salas de aulas são pequenas, lotadas com 30 crianças ou mais e tem somente um ou dois cuidadores, número esse insuficiente. O correto seria quatro cuidadores, sendo um específico para atender a criança especial que precisa de um acompanhamento, uma atenção e carinho”, ressaltou.

Essa mesma cuidadora disse ainda que os profissionais não sabem como lidar com essas crianças especiais. “Nunca recebemos uma capacitação para lidar com os pequenos que têm Down, autismo ou outra necessidade. Têm pais que reclamam e com razão, porque eles sabem como está sendo feito o atendimento ao filho. Isso ocorre porque não tem cuidador suficiente. É lamentável, mas nós estamos cansadas, sobrecarregadas”.

Número insuficiente

Outra cuidadora de uma casa mãe, que também pediu para não ser identificada, informou que a prefeitura tem conhecimento de toda a situação, que vem ocorrendo há tempos. “Quem bom que estão sendo convocados 98 cuidadores, mas ainda é um número insuficiente para as quase 50 casas mãe e escolas proinfância que temos”, ressaltou.

“Somos seres humanos, precisamos de condições dignas de trabalho. Estamos exaustas, cansadas física e mentalmente, com problemas psicológicos. Para atendermos essas crianças com qualidade, o servidor precisa ser tratado com dignidade. Queremos trabalhar as 30 horas, mas a prefeitura já vai implantar o tempo integral a partir do dia 7 de março, mas não sabemos se vai adiantar alguma coisa, pois o que precisa ser feito é suprir a demanda que é mais cuidadores nas salas”, frisou.

Saúde dos servidores

Outra servidora que trabalha em uma casa mãe contou que o motivo da manifestação também é por uma questão de saúde. “Estamos adoecendo, sobrecarregadas, pois são muitas crianças e muitas delas gripadas e salas pequenas. Há cobrança muito grande e não tem funcionário suficiente. A partir do dia 7 começa o período integral e a gente espera que, até que seja revolvida a questão das 30 horas, esses cuidadores convocados sejam lotados, mas isso é apenas um paliativo. Só queremos ser ouvidos, e que a prefeitura não empurre esse problema com a barriga e tome providências para melhorar essa situação”, finalizou.

O site Política Macuxi procurou a prefeitura de Boa Vista mas até o fechamento dessa matéria não obteve retorno