You are currently viewing Polícia investiga desperdício de vacinas contra Covid-19 cometido pela Prefeitura de BV

Polícia investiga desperdício de vacinas contra Covid-19 cometido pela Prefeitura de BV

A aplicação de vacinas contra a covid-19 realizada pela prefeitura de Boa Vista (RR) virou caso de polícia. As denúncias de que a secretaria municipal de saúde estaria descartando vacinas, em vez de utilizá-las, partiram do vereador Nilson Bispo (PSC) e do senador Telmário Mota (PROS-RR).

Bispo registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil, pedindo investigação do caso. Já o senador Telmário apresentou um pedido à Polícia Federal, uma vez que as vacinas são bancadas com recursos federais.

A Polícia Civil em Boa Vista informou que dará andamento às investigações, como solicitou o vereador. A superintendência da Polícia Federal ainda vai analisar o pedido feito pelo senador.

No boletim registrado na Polícia Civil, o vereador Nilson Bispo afirma que recebeu uma denúncia anônima de que havia dezenas de frascos de vacinas já vencidas guardadas em postos de saúde da capital de Roraima, onde vivem cerca de 300 mil habitantes.

Uma vez que os frascos são abertos, o prazo de validade de cada um é de seis a oito horas, dependendo da vacina, com o material armazenado em temperatura de 2 a 8 graus positivos, conforme norma estabelecida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde. Outra regra prevista é a de que pode ocorrer uma perda de até 5% do volume de cada frasco. As perdas operacionais vão desde a quebra do frasco, falta de energia, falha no equipamento, validade vencida, falha de transporte, frascos vazios, sem rotulação ou outros motivos.

Ao chegar no centro de imunização do município, porém, Nilson Bispo afirma ter encontrado frascos que ainda continham até cinco doses sem utilização, de um total de oito.

“Achei 25 frascos com muitas doses de vacinas. Disseram que estava com 5% e que poderia sobrar, mas a verdade é que achei frascos pela metade, frascos com três, cinco doses, que já tinham sido descartados. Então, descobri que todo dia estão sobrando frascos com várias vacinas”, afirmou.

Segundo o vereador, agentes do posto de saúde disseram que as sobras se deviam ao fato de não terem aparecido mais pessoas naquele dia que tivessem o perfil para aquela vacinação. Atualmente, a vacinação aplicada em Boa Vista é voltada para pessoas com 68 anos de idade ou mais. “Isso é um crime, por isso denunciei à Polícia Civil, que levou os frascos para averiguação”, comentou.

O senador Telmário Mota enviou ofício ao superintendente regional da Polícia Federal em Roraima, Richard Murad Macedo, na qual afirma que “o Ministério da Saúde é enfático no sentido de que as vacinas que sobram devem, no final do dia, serem aplicadas em pessoas contempladas em alguns dos grupos priorizados. Nenhuma vacina deve ser desperdiçada.”

Segundo Mota, o desperdício está ocorrendo “em razão da completa ausência de um planejamento eficaz de vacinação para grupos prioritários e de forças de segurança que atuam na linha de frente contra essa terrível pandemia”. “Objetivamente, a serem verídicas as denúncias, vidas estão sendo perdidas pela aplicação incorreta da vacina. É inadmissível que isso aconteça em um estado já tão arrasado pela pandemia e com recursos escassos também em migração em massa em função da crise na Venezuela”, afirmou, no ofício.

À reportagem, Telmário disse que a prefeitura “age de má fé”. O vereador Nilson Bispo chegou a apresentar um pedido de investigação na Câmara Municipal de Boa Vista nesta terça-feira, 23, além da convocação do secretário de saúde da capital, mas foi voto vencido. “O que aconteceu é que, dos 23 vereadores votantes, 13 estão com a prefeitura local e derrubaram os pedidos”, disse Telmário.

Outro lado- A reportagem questionou o prefeito Arthur Henrique (MDB) sobre o assunto. Por meio de nota, a prefeitura de Boa Vista declarou que “é inverídica a denúncia” e que “repudia tal fake news de que há desperdícios acima de 5% conforme prevê o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 no Brasil”.

Desde o início da campanha, declarou, o município recebeu 35.918 do governo federal e já aplicou mais de 25 mil doses. “Do total recebido, apenas 69 doses foram descartadas. Esse número representa hoje 0,19%, portanto, bem abaixo do limite aceitável pelo Ministério da Saúde”, afirmou.

Fonte: Portal Terra