You are currently viewing Deputados pedem prioridade a profissionais da segurança pública em vacinação contra covid-19

Deputados pedem prioridade a profissionais da segurança pública em vacinação contra covid-19

Aprovados nesta quarta-feira (24)  dois requerimentos apresentados por deputados membros da bancada da Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Roraima para que o Estado inclua ao grupo prioritário de vacinação contra covid-19 os profissionais da segurança pública e que o Poder Legislativo ingresse com ação judicial para garantia deste direito.
Assinaram os requerimentos os deputados Coronel Chagas (PRTB), Soldado Sampaio (PCdoB), Nilton SindPol (Patri) e Jorge Everton (MDB).
Esses mecanismos, conforme explicou o presidente do Poder Legislativo, Soldado Sampaio, são para buscar medidas legais como ação judicial para atender a demanda de servidores que, assim como os da Saúde, não pararam no período da pandemia causado pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).
“Foi apresentado requerimento assinado pelos quatro deputados, com apoio dos demais, e nessa construção de medidas judiciais, medidas administrativas e políticas, para fazer com que toda Segurança Pública tenha prioridade na vacinação por trabalharem diuturnamente”, frisou Soldado Sampaio.
De acordo com o deputado Coronel Chagas, em um ano 27 profissionais da Segurança Pública morreram em decorrência da covid-19 e outros 1.526 foram contaminados pela doença. “Veja a urgência da vacinação desses profissionais que não tem escolha alguma  quando exercem a proteção, estão desprotegidos”, pontuou o parlamentar ao defender o requerimento durante o uso da tribuna nesta quarta-feira.
Na mesma linha, o deputado Nilton SindPol defendeu a importância da vacinação imediata a estas pessoas. “São pessoas que se dedicam 24h por dia, sete dias por semana. Não só a questão de estarem investigando, mas estarem próximas da população, muitas pessoas comparecem as delegacias”, justificou o parlamentar.
O deputado Jorge Everton classificou como “insana” a forma de tratamento dos organismos de Saúde quanto às pessoas atuantes na linha de frente. “Esse cronograma apresentado pelo Governo Federal coloca até antes os presidiários, as pessoas em cárcere. É uma loucura, insanidade deixar de vacinar quem está em contato direto com as pessoas com covid e que não podem se recusar a deixar de exercer a função”, lamentou. “Estamos pedindo, representando as forças de segurança, para que a Assembleia ingresse com essa ação a fim de vacinar os trabalhadores da Segurança Pública do Estado de Roraima”.
A segurança pública foi considerada pelo Governo Federal como serviço essencial no período pandêmico, contudo ficou de fora da priorização na imunização do Plano Nacional de Vacinação. No requerimento foram citados os Policiais Militares, Policiais Civis, Bombeiros Militares, Agentes de Trânsito, Guardas Municipais, Policiais Penais e Sócio-Educadores.
Texto: Yasmin Guedes
Foto: Tiago Orihuela / Marley Lima
SupCom ALERR
24.03.2021