You are currently viewing Polícia Civil terá R$ 100 mil para melhoria do Laboratório de Genética Forense

Polícia Civil terá R$ 100 mil para melhoria do Laboratório de Genética Forense

A Polícia Civil terá alocação de recursos no valor de R$ 100 mil para aquisição de insumos para fortalecer o LGF (Laboratório de Genética Forense), do Instituto de Criminalística. O valor faz parte de emenda parlamentar estadual.

 

Para o governador Antonio Denarium, é importante para a gestão a alocação de recursos por meio de emendas parlamentares a fim de contribuir para a melhoria da prestação de serviços para a sociedade. “Nossa gestão tem aproximação com todos os deputados e com isso, conseguimos aprimorar o orçamento, adquirir mais equipamentos e insumos para o bom desempenho das atividades”, disse.

 

O delegado Geral, Herbert Amorim, destacou a importância do investimento no Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística, local onde são realizados trabalhos muito importantes, como o mapeamento genético através do exame de DNA, contribuído muito com a investigação.

 

“O trabalho realizado no Laboratório de Genética Forense também fundamenta as provas e permite que o juiz ao sentenciar o agressor, não tenha dúvidas nenhuma da autoria, fazendo com que ele tenha uma pena adequada e inquestionável”, destacou.

 

Autora da emenda parlamentar, a deputada estadual Lenir Rodrigues destacou que o objetivo é de contribuir para a solução de crimes com mais celeridade, sobretudo, os crimes sexuais. “O meu trabalho é muito voltado para as vítimas de violência e, os crimes sexuais têm sido esclarecidos pela Polícia Civil, por meio das investigações e do Laboratório de Genética Forense”, justificou a parlamentar.

 

O LABORATÓRIO

 

Implantado em Roraima em setembro de 2019, o Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística da Polícia Civil de Roraima conta com equipamentos de alta tecnologia e um grupo técnico formado por peritos criminais, capacitado para trabalhar nos processos que têm como objetivo esclarecer crimes por meio de exame de DNA, colaborando com as investigações criminais.

 

Recebeu recentemente a certificação internacional do Gitad (Grupo Ibero-americano de Trabalho em Análise de DNA).

 

Em 2020, o Laboratório resolveu 12 casos de identificação humana, identificação de vestígios e crimes sexuais. Além dos trabalhos realizados em parceria com o Governo Federal, a coleta de material biológico de condenados também tem sido um trabalho desenvolvido pelo Laboratório. Outro projeto, também realizado em parceria com o Governo Federal, é a análise de crimes sexuais.