Volta de Denarium ao PSL pode provocar racha no partido em RR

Volta de Denarium ao PSL pode provocar racha no partido em RR

A possibilidade de retorno do presidente Jair Bolsonaro ao Partido Social Liberal (PSL), pelo qual foi eleito em 2018, teve um efeito dominó e mexeu com as estruturas da sigla em Roraima.

O governador Antônio Denarium (Sem Partido), que deixou o PSL junto com Bolsonaro, manifestou o desejo se filiar novamente ao partido caso o presidente também concretize seu retorno.

“Sou partidário do presidente Bolsonaro, para o partido que ele for eu estarei junto. Se ele voltar ao PSL estarei voltando ao partido”, disse Denarium.

O Governador informou ter excelente relacionamento com o presidente nacional do PSL, o deputado federal Luciano Bivar, e que não veria problema em compor o partido ao lado do também deputado federal Antônio Nicoletti, que preside a sigla em Roraima.

“O deputado Nicoletti e eu fomos parceiros na campanha. Ele, inclusive, tem colocado recursos no governo e eu tenho promovido o nome dele. Acho que não tem problema em compor o partido aqui em Roraima”, afirmou.

Discurso de Nicoletti não é tão amistoso

Apesar do tom amistoso do governador sobre o relacionamento político com o deputado federal Nicoletti, o parlamentar se mostrou contrário ao retorno do governador à sigla.

“Temos aqui duas situações muito diferentes. Enquanto o presidente Jair Bolsonaro mantém a coerência entre os seus discursos e ações, o governador Antônio Denarium se afastou totalmente do discurso que o elegeu”, declarou.

O parlamentar disse ser a favor do retorno do presidente Jair Bolsonaro ao partido e afirmou que o receberia de braços abertos, mas que não mudaria sua postura em relação a Denarium.

“Em relação ao Governador Antônio Denarium, no entanto, vale lembrar que o PSL foi o único partido a pedir o impeachment do governador, por meio do pedido que protocolei em junho na Assembleia Legislativa do Estado”, frisou.

Entenda o caso
O governador Antônio Denarium e o deputado federal Antônio Nicoletti foram aliados nas últimas eleições, em 2018, de onde saíram vitoriosos nas campanhas ao governo e à Câmara Federal, respectivamente.

A união se manteve até novembro de 2019, quando Denarium deixou a sigla para seguir o presidente Jair Bolsonaro no Aliança pelo Brasil, partido que não chegou a ser fundado.

Nicoletti, então, assumiu a presidência do PSL no estado e iniciou um racha com o chefe do executivo estadual.
O deputado chegou a protocolar, inclusive, um pedido de impeachment contra o governador na Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR), que foi rejeitado pelos deputados estaduais por falta de provas.

Deixe uma resposta