Lei municipal instituiu campanha contra tráfico de pessoas

Lei municipal instituiu campanha contra tráfico de pessoas

O estado de Roraima, por possuir fronteiras internacionais, está entre os locais que mais possuem rotas de tráfico de pessoas no Brasil. O assunto preocupa, especialmente, porque grande parte do tráfico envolve a exploração infantil e de adolescentes.

E é por essa razão que existe há mais de três anos em Boa Vista a campanha Coração Azul, instituída pela lei municipal 1791/2017 e que acontece no mês de julho, com a finalidade de promover mobilizações durante uma semana com espaços para discussões sobre o tema, uma realidade complexa que envolve casos transnacionais.

A ideia, conforme o autor do projeto de lei, vereador Manoel Neves (Republicanos), é que todos os organismos voltados para o assunto promovam debates sobre medidas a serem adotadas para combater as redes de criminalidade organizadas “e que se alimenta das vulnerabilidades e fragilidades das pessoas traficadas”.

“Em razão das circunstâncias que o mundo vive é preciso investir em políticas proativas para se buscar a prevenção, cooperação, proteção e a repressão contra o tráfico, atuando especialmente nas causas que propiciam o alastramento desse fenômeno como situações de pobreza, marginalização, exclusão social e econômica, e desigualdades sociais”, ressalta.

Uma das entidades que desenvolvem ações com esse propósito é o Núcleo de Combate ao Tráfico de Pessoas, da Assembleia Legislativa de Roraima.

Desde sua criação, em 2016, mais de cinco mil alunos e cerca de 1,7 mil professores e funcionários da área da educação já foram capacitados por meio de palestras e rodas de conversas em escolas públicas na Capital e no interior sobre a temática.

De acordo com o coordenador do Núcleo, Glauber Rolim Batista, a partir das denúncias que recebem algumas diligências são realizadas e visitas ocorrem como forma de prevenção.

Os locais já visitados pelo grupo são considerados estratégicos para as medidas de prevenção e combate ao tráfico de pessoas. Já houve visitas da equipe em Bonfim, Pacaraima, Caracaraí, Rorainópolis, Novo Paraíso, Manaus, Lethem e Georgetown.

“Além dessas ações, o Núcleo também trabalha para garantir o atendimento especializado e humanizado das vítimas do tráfico, que são encaminhadas para a rede de atendimento”, completa o coordenador, lembrando que, conforme a lei municipal estabelece, o trabalho continua o ano inteiro no sentido de mobilizar e firmar parcerias com a rede de serviços do estado, a fim de combater o tráfico de pessoas em Roraima.

Deixe uma resposta