Advogadas com Covid fazem TRE adiar julgamento de governador e vice

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O Tribunal Regional Eleitoral adiou a sessão que julgaria a representação contra o governador Antonio Denarium (sem partido) e o vice Frutuoso Lins (SD) por suposta captação ilícita de sufrágio durante a campanha eleitoral de 2018.

A Assessoria de Comunicação do TRE em Roraima confirmou a informação.

A justificativa do adiamento é que as advogadas do representante, O PSDB,  Maria Dizanete de Souza Matias e Paula Camila de Oliveira Pinto,  estão acometidas de Covid.

A relatora do caso, a juíza Graciete Sotto Mayor Ribeiro se manifestou incluindo o novo julgamento na pauta de julgamento da primeira sessão do mês julho.

A representação corre na Justiça Eleitoral desde janeiro de 2019 e a previsão dos advogados de forma extraoficial é que só retorne para a pauta em agosto.

O julgamento será por videoconferência.

Entenda o caso

O processo nº 0600001-24.2019.6.23.0000 foi ajuizado pelo Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) e do Democratas (DEM).

Os partidos alegaram supostas transgressões eleitorais por conta de captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral.

A coligação verificou a existência de “milhões de reais” que foram usados sem tramitar na conta específica de campanha.

Também não teriam sido declarados na devida prestação de contas, o que sugere, de pronto, captação ilícita de recursos para fins eleitorais”, ou seja, “caixa 2”.

O diretório completa que existe ainda pendrive com várias planilhas de controle financeiro dos gastos apontados.

Foi apresentada cópia de interrogatório de funcionária do Partido Social Liberal (PSL), além da apreensão de documentos.