ESCALA MORTAL: Agentes culpam prefeitura por contaminação

ESCALA MORTAL: Agentes culpam prefeitura por contaminação

O Sindicato dos Agentes de Trânsito do Estado de Roraima (Sindatran) classificou como mortal a escala de serviço imposta pelo secretário, Raimundo Barros, e pela prefeita, Teresa Surita (MDB), aos servidores.

Na manhã desta segunda-feira, 08, os agentes realizaram uma manifestação em frente à sede da Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Trânsito (SMST).

Com faixas cobrando a saída do secretário e de luto pela morte da agente de trânsito Kelly Varão, vítima da covid-19, eles denunciaram que a alteração na escala de horário contribuiu diretamente para o aumento de casos entre os agentes.

Desde a mudança, conforme o sindicato, ao menos 14 pessoas já teriam entrado de licença médica após testarem positivo para o coronavírus.

“O Sindicato está fazendo uma manifestação em repúdio à escala mortal que fez com que os agentes de trânsito começassem a trabalhar em turnos de 6 horas”, disse o presidente do Sindatran, Marcos Queiroz.

Em entrevista ao Política Macuxi, Queiroz afirmou que os novos horários fizeram com que houvesse aglomeração entre os agentes durante a troca de turnos.

“Na alteração de um turno para outro acumulávamos de 25 a 30 agentes que passavam em média 2 horas juntos, que era o período de mudança”, explicou.

Conforme a nova escala, os agentes teriam que trabalhar em três turnos: entre 7h e 13; no período das 11h às 15h e entre 17h e 23h, além dos agentes que trabalham em plantões de 24h.

“Essa escala influenciou diretamente na saúde do servidor, e o motivo foi para nos prejudicar”, afirmou o sindicalista, ao acusar o secretário Barros de perseguição.

Multas de secretários e retaliação

Segundo ele, o coronel vem retaliando os agentes desde que foi denunciado por deixar de lançar multas de trânsito de secretários municipais, no caso em que foi condenado pela 2ª Vara da Fazenda Pública por improbidade administrativa.

“Não temos condições de ter um secretário condenado cuidando do trânsito de Boa Vista. Estão colocando em risco a todos os agentes por conta da aglomeração. Estou vendo meus amigos adoecerem, vi minha amiga morrer e ninguém fez nada”, lamentou.

Antes de morrer, agente se dizia abalada com nova escala

Em um áudio enviado a colegas de trabalho antes de falecer vítima do coronavírus, a agente de trânsito Kelly Varão relatava preocupação com a nova escala de trabalha imposta pela Prefeitura.

“Estou triste, estou abalada com essa nova escala como se não respeitassem a opinião da gente, tive vontade de nunca mais aparecer para trabalhar e pedir demissão”, disse.

“A fiscalização inteira fica de boca calada. Estou trabalhando na força, estou muito doente mesmo, mesmo assim me esforço. Se mudar minha rotina eu sofro”, complementou a servidora um dia antes da morte.

OUTRO LADO

A reportagem do Política Macuxi procurou a prefeitura de Boa Vista para saber sobre a manifestação dos agentes e a escala de serviço e aguarda retorno

Deixe uma resposta