Vereadores abandonam sessão e Mauricélio rebate: “Irresponsáveis”

Vereadores abandonam sessão e Mauricélio rebate: “Irresponsáveis”

Dez vereadores de Boa Vista abandonaram na manhã desta terça-feira, 26, a sessão extraordinária convocada pela Câmara Municipal, após os vetos da prefeita Teresa Surita a vários projetos de enfrentamento do Covid não terem sido colocados em pauta.

Por conta da confusão, em entrevista ao site Política Macuxi, o presidente da Câmara, vereador Mauricélio Fernandes (MDB) classificou a atitude dos parlamentares como “irresponsável”.

“Eles estão no direito deles, mas foi uma atitude irresponsável que causou prejuízo a várias famílias pobres de Boa Vista que esperavam aprovação de projetos importantes como o aluguel social. Agora não sei quando convocarei nova sessão e os vetos, vou colocar em pauta somente quando a tramitação normal ocorrer ou quando der e se der” disse.

Mauricélio Fernandes, lamentou a atitude dos colegas e destacou que famílias que residiam no bairro Caetano Filho, foram prejudicadas com essa atitude. “O projeto que seria colocado em votação, e de grande relevância social, garante aos beneficiários do bairro Caetano Filho que recebem o aluguel social, a serem indenizados pelo município no valor da moradia referente ao Programa Minha Casa, Minha Vida”.

Vereadores querem votar vetos da Prefeita

Os vereadores fizeram uma nota de esclarecimento explicando as razões de terem abandonado a sessão.

“Nos retiramos da sessão extraordinária desta terça-feira (26) em protesto pela ausência dos vetos a leis que tratam de medidas urgentes e necessárias para minimizar impactos da pandemia na vida das pessoas. Chegamos a conclusão que se é pra votar projetos de lei de interesse do executivo , então qual a razão de não votar aqueles projetos que a prefeita vetou e que iam ajudar a população nesse momento de pandemia? ” explicou o vereador Linoberg (Rede)

Ainda segundo os vereadores, é preciso que o município permita a suspensão dos empréstimos consignados, faça o adiamento do pagamento dos impostos (IPTU e Taxa de Lixo) e flexibilize os contratos pela manutenção do emprego de servidores terceirizados.

“A decisão de propor a ordem do dia é da mesa diretora. Tentamos o diálogo, mas não houve acordo. Reiteramos que todos os projetos são relevantes, mas é hora de unir forças e deliberar sobre medidas já debatidas, votadas e aprovadas neste período de crise causada pelo covid para proteção de nossa gente” disseram os parlamentares em nota.

O vereador Ítalo Otávio afirmou que não se sente confortável com o que vêm acontecendo com pais de família, empresários, vendedores e profissionais diversos.

“É triste ler notícias da onda de desemprego que vivemos, ao mesmo tempo que acompanhamos o crescente número de mortos no estado. Sou cobrado diariamente. Eu e outros vereadores apresentamos PROJETOS DE LEI em abril e que foram APROVADOS. Todos esses projetos são para AMENIZAR impactos a dezenas de milhares de pessoas da Capital. Através de prorrogações de pagamentos (IPTU, coleta de lixo e empréstimos consignados). Os vetos do Executivo chegaram na Casa de Leis e se derrubarmos esses VETOS, eles deixarão de ser projetos e se tornarão LEIS!” disse.

A nota é assinada pelos vereadores Aline Rezende (PRTB), Dra Magnólia (Republicanos), Genilson Costa (SD), Ítalo Otávio (Republicanos), Pastor Jorge (PSC), Linoberg Almeida (REDE), Nilvan Santos (SD), Rômulo Amorim (PTC), Rondinele Tambasa (SD), Wagner Feitosa (SD) e Dr Wesley (PC do B).

Deixe uma resposta