Prefeita culpa governo por manter comércio fechado e nega Lockdown

Prefeita culpa governo por manter comércio fechado e nega Lockdown

A prefeita Teresa Surita (MDB) afirmou em live na manhã desta terça-feira, 26, que já tem um plano de reabertura do comércio na Capital, mesmo confirmando que estamos entrando no pico da curva de contágio do coronavírus. Contudo, Teresa condicionou a reabertura do comércio em Boa Vista ao funcionamento do Hospital de Campanha.

“Tenho hoje pronto o plano de reabertura do comércio, mas só vai voltar a quando tivermos o hospital de retaguarda funcionando, porque se reabre o comércio aumenta o número de infectados e assim que o hospital funcionar teremos leitos de reserva”, justificou

A gestora do município negou que vá decretar ‘Lockdown’, apesar de Boa Vista ter 1924 casos do total de 2583 , o que dá 74% das pessoas contaminados pelo Coronavírus em Boa Vista.

“Para Lockdown é preciso plano. É medida extrema e as pessoas precisam cumprir com consequências. Não conseguimos fazer, pois falta planejamento do Governo de Roraima. O novo secretário de Saúde, (Olivan Júnior) está conseguindo caminhar, mas foi perdido muito tempo com a falta de organização”, afirmou.

Apesar de dizer durante toda a live que não era momento para desavenças ou disputas políticas e que a campanha eleitoral devia ser deixada de lado, a prefeita aproveitou vários momentos para criticar a gestão do governador Antônio Denarium (Sem Partido).

O governo que coordena toda a situação e não tenho competência de fazer mais do que estou fazendo. Não sou governadora”

Veja outros assuntos tratados na live da prefeita Teresa Surita (MDB)

PICO DA PANDEMIA EM RR

“Agora é o pior momento do pico. Nós chegamos e vamos viver dias difíceis e nossos estudos mostram que até o dia 10 de junho vamos ter muitos problemas. O que posso orientar é que fiquem em casa. Estamos estudando antecipar feriados pois as pessoas não obedecem a decretos”.

HOSPITAL DE CAMPANHA

Segundo a prefeita, o Hospital de Campanha representa a estrutura necessária neste momento, e só não está em funcionamento por conta do governo do estado.

“O Hospital de Campanha serve para absorver essa demanda excedente dos hospitais. A prefeitura cumpriu sua obrigação, mas o governo não cumpriu. Não temos leitos de retaguarda e estamos com o hospital e as unidades de saúde lotadas pois as pessoas estão doentes”, esclareceu.

CLOROQUINA

“Pedimos cloroquina para fazer o protocolo com o Ministério da Saúde e ela não pode ser dada sem o aceite do paciente. É comprovada que tem efeitos colaterais, mas como o Ministério da Saúde autorizou, nós vamos seguir a orientação e vamos distribuir nos postos, mas por enquanto não temos a medicação”.

Teresa informou que o município ingressou com ação na justiça devido ao executivo estadual não repassar medicamentos e testes suficientes para atender a população nos postos de saúde.

“Não tem medicamentos para todos os lugares. Roraima recebeu 20 mil comprimidos de cloroquina e repassou para Boa Vista, que tem 70% da população, 300 comprimidos que não dão para atender nem um posto. O ministério (da Saúde) passou 17,9 mil testes (para diagnóstico da Covid-19) e o município recebeu só 4.400”.

ATENDIMENTO NAS UBS

“Estamos fazendo atendimento nas unidades de saúde e em algumas trabalhando até meia noite, mas os nossos técnicos também ficam doentes. Temos 39 profissionais afastados e isso faz com que demore mais o atendimento. Tem pessoas que falam que esperaram 4 horas para serem atendidas, mas na Unimed também se espera 4 horas. Nossos profissionais estão cansados, doentes e mesmo com essa demora, todos que precisam são atendidos”.

BOLETIM DIÁRIO

A prefeita falou também sobre a publicação de boletim diário sobre os casos de Covid, após decisão judicial que determina a divulgação. “Vamos fazer boletim diário e o atendimento que é feito nas 34 unidades de saúde. Vamos informar sobre a covid, testes, positivos e negativos nas unidades e monitoramento na casa das pessoas e altas”.

Deixe uma resposta