Senadores trocam ofensas após vazamento de WhatsApp

Senadores trocam ofensas após vazamento de WhatsApp

Os senadores por Roraima Chico Rodrigues (DEM) e Telmário Mota (PROS) se estranharam, após o vazamento de áudios de um grupo de WhatsApp privado que eles participavam.

A confusão começou quando Chico Rodrigues teria respondido aos colegas do grupo, falando sobre os ataques que os parlamentares vêm sofrendo de um ex-senador de Roraima.

“Rei morto, rei posto. O Caju já caiu da árvore. A castanha já apodreceu. Não vamos bater boca com esse rapaz que ele está doido e tem que comprar Rivotril para ele, que é o melhor que podemos fazer. Ele não acordou da lapada que levou nas eleições de 2018. (…)Ele é a escória da política brasileira. Então a gente não pode se nivelar por baixo. Temos que brigar com senadores iguais a gente, mas com ele? Ele já era. A História não perdoa quem não se acostuma com ela. (….) Todo ano prometia que faria enquadramento de 12 mil e nada… Ele está enlouquecido e sonha com disputar a eleição em 2022, mas vamos tirar ele de novo. E não adianta ficar falando muito o nome desse verme, desse infeliz para não lembrar muito” disse o senador.

Conflitos

Após o vazamento de WhatsApp, Chico Rodrigues afirmou que sairia do grupo e bastante chateado, reclamou da traição dos colegas senadores e que provocou uma troca de ofensas generalizada.

“Falamos no privado sobre as mágoas, projetos, desilusões com os ataques que estamos sofrendo. Um de vocês publicou aquela minha manifestação em relação ao ex-senador. Eu não sou de guardar segredo e, mas evito embates para não me aborrecer e não ficar chateado, quando a gente vê que está atacado injustamente. Eu me manifestei de uma forma muito dura e injusta ao que está sendo feito em relação a nós três. Mas como não guardaram reserva eu me dou no direito de sair do grupo, porque a gente tem que ser parceiro e amigo e ter palavra e não tiveram consideração comigo. Se tiver que fazer uma coisa sem traição podem me procurar. Vamos em frente”

Telmário teria assumido ser ele o responsável pelo vazamento e distribuição dos áudios e chamou o colega de covarde.

“Eu assumo total responsabilidade pelo vazamento do áudio dele. Um homem tem que assumir o que fala. Homem é homem e o resto é merda.  Vem no privado e posa de valente e na hora que é publicado quer retirar o que disse? É covarde, medíocre. Eu tinha vergonha e nem olhava para minha família se fosse tão covarde assim. Eu estou com vergonha pois ele não merece o mandato de senador do meu povo de Roraima não. É um frouxo”.

O senador Mecias de Jesus (PRB) não se manifestou sobre a confusão.

Ouça os Áudios