JUNHO VERMELHO

Servidores da Assembleia Legislativa doam sangue para abastecer estoque do Hemoraima

Compartilhe:

Para incentivar servidores a doar, a Assembleia Legislativa (ALE-RR) promove nesta segunda (20) e terça-feira (21), em alusão ao Junho Vermelho, a campanha “Doe sangue, doe vida”. Colaboradores da Casa foram ao Hemoraima (Hemocentro de Roraima) para ajudar a abastecer o estoque do único centro de captação e transporte de sangue e hemocomponentes do Estado.

“Doação de sangue é um tema de interesse da Assembleia Legislativa, tanto que vêm sendo aprovadas leis de incentivo a essa causa. A proposta da campanha é mobilizar os servidores a reforçar o estoque de sangue do Hemoraima, que atende a capital e o interior”, esclareceu a gerente do Núcleo de Relações Públicas, Vanessa Brito.

A campanha Junho Vermelho faz parte do Calendário Oficial de Eventos do Estado desde 2019, por meio da Lei nº 1.361/19, da deputada Yonny Pedroso (PL). Ainda no mesmo mês, o Parlamento estabeleceu o dia 14 como o “Dia Estadual do Doador de Sangue”, conforme preconiza a Lei nº 1.014/15, dos ex-deputados Jalser Renier e Naldo da Loteria.

A legislação determina a realização de palestras, propagandas e campanhas visando conscientizar a população quanto às ações de coleta e doação de sangue e fazem um alerta para os níveis do estoque do de sangue do Hemoraima.

Período crítico

Apesar de o hemocentro contar com aproximadamente 29 mil pessoas cadastradas e precisar, em média, de 70 doadores por dia para atender às demandas diárias, nem a metade deste número tem sido atingida.

Em junho, especialmente, ocorre uma expressiva queda de estoque no banco de sangue em todos os hemocentros do Brasil, e em Roraima não é diferente. As chuvas, síndromes gripais e férias afastam até mesmo os doadores regulares do centro.

Ao período crítico, soma-se a conjuntura local com a retomada das cirurgias eletivas, conforme explica Hellen Bessa, assistente social do Hemororaima. “No período de covid-19, foram suspensas todas as cirurgias eletivas e agora elas estão em andamento. As solicitações de bolsas de sangue estão muito mais frequentes do que nos outros meses de junho de anos anteriores”.

Benefícios

Para Andressa Duarte, 29 anos, servidora da Procuradoria Contenciosa da Assembleia Legislativa, a campanha foi o empurrão que faltava para colocar em prática um desejo acalentado por anos. “Eu não tinha coragem, mas tinha vontade, e isso coincidiu com a campanha da Casa. Agora, já estou tranquila e pronta para outra doação”, afirmou após ter vencido o medo da agulha.

Além de cada doação ser capaz de salvar até quatro vidas, o ato de solidariedade dá benefícios previstos em leis. O também doador de primeira viagem, o servidor da Procuradoria Contenciosa Edgar Oliveira, 29 anos, lembrou da Lei nº 167 de 1997, de autoria da ex-deputada estadual Zenilda Portella, que confere aos doadores regulares de sangue isenção nas inscrições de concursos públicos.

“Eu me sinto tranquilo fazendo uma boa ação e espero com isso ajudar algumas pessoas. Também já ouvi falar de lei que garante isenção em algumas inscrições de concurso público para quem é doador”, destacou.

Outro incentivo à doação é o pagamento de meia-entrada em todos os locais públicos de cultura, esporte e lazer, como teatros, museus e cinemas, estabelecido pela Lei nº 1.325 de 2019, do deputado Neto Loureiro (PMB) e do ex-deputado Jalser Renier (SD).

Assim como o abono de falta no trabalho no dia da doação sem desconto na folha de pagamento uma vez a cada 12 meses, conforme artigo 473 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Já a Lei nº 169 de 1997, do ex-deputado estadual Célio Rodrigues Wanderley, determina aos doadores cadastrados em programas da Setrabes a concessão mensal de uma cesta básica; vinte vales-transportes e uma passagem em transporte intermunicipal, de ida e volta, no trecho capital-residência do doador, e exames ambulatoriais e hospitalares com prioridade no atendimento.

Como ajudar?

O Hemoraima coleta sangue de segunda a sexta, das 7h30 às 12h e das 13h30 às 18h, na avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, 3418, bairro Aeroporto, Boa Vista. Para estar apto à doação, é necessário atender os seguintes critérios:

  • ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 precisam da presença do pai ou da mãe ou responsável legal);
  • estar alimentado. Evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação de sangue;
  • caso seja após o almoço, aguardar duas horas;
  • ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas;
  • pessoas com idade entre 60 e 69 anos só poderão doar sangue se já o tiverem feito antes dos 60 anos;
  • a frequência máxima é de quatro doações de sangue anuais para o homem e de três para as mulheres;
  • o intervalo mínimo entre uma doação de sangue e outra é de dois meses para os homens e de três meses para as mulheres.

Também é possível tirar dúvidas por meio do telefone (95) 2121-0831.