INVESTIGAÇÃO

CPI da Saúde finaliza relatório de 400 páginas e pede indiciamento de mais de 60 pessoas

Para evitar vazamento de informações, não foi entregue cópia do relatório para os demais parlamentares

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Instalada em 2019, para apurar possíveis irregularidades em contratos firmados com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da Saúde) finalizou o relatório das investigações, conforme anunciou o relator deputado Jorge Everton (sem partido) na sessão desta terça-feira (23), da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR).

O material, que tem mais de 400 páginas e pede o indiciamento de 62 pessoas, será apresentado aos integrantes da comissão no dia 3 de dezembro, a partir das 9h, no Plenário Noêmia Bastos Amazonas. Para evitar vazamento de informações, não foi entregue cópia do relatório para os demais parlamentares.

“Todos os processos analisados, mais de seis mil páginas de volume, e esses indiciamentos serão apresentados aos membros da CPI e aí daremos seguimento para trazer ao plenário o relatório final”, explicou, o Everton, ao assegurar que o trabalho evitou que mais de R$ 80 milhões fossem desviados dos cofres públicos.

O presidente da CPI da Saúde, deputado Coronel Chagas (PRTB), ressaltou o trabalho dos parlamentares entre reuniões, diligências, mais de 90 oitivas e análises de 44 processos nos mais de dois anos de investigações.

CPI

A Comissão Parlamentar de Inquérito foi instalada em setembro de 2019 para investigar possíveis irregularidades contratos da Saúde de Roraima a partir de 2015 e de outros emergenciais celebrados no período da pandemia do novo coronavírus.

São integrantes da CPI da Saúde os deputados: Coronel Chagas – presidente, Nilton Sindpol (Patri) – vice-presidente, Jorge Everton – relator, Renato Silva (Pros), Lenir Rodrigues (Cidadania), Eder Lourinho (PTC) e Evangelista Siqueira (PT).