You are currently viewing Lenir Rodrigues denuncia desvio do rio Mucajaí por garimpeiros

Lenir Rodrigues denuncia desvio do rio Mucajaí por garimpeiros

Um vídeo relatando o suposto desvio de 130 metros no leito do rio Mucajaí, um dos principais afluentes do rio Branco, em Roraima, veiculado no início dessa semana em grupos do aplicativo de mensagens WhatsApp foi alvo de repúdio pela deputada Lenir Rodrigues (CIDADANIA), durante sessão desta quarta-feira, 31, na Assembleia Legislativa de Roraima.

Lenir lembrou que a água é um recurso natural finito, e que pode acabar devido à contaminação dos leitos dos rios, por exemplo. “Ando muito pelo nosso estado, e é perceptível que nossos rios e igarapés não estão tão bonitos e saudáveis quanto antes, padecendo da falta de consciência da própria população. Esse vídeo mostra o desvio e destruição do rio Mucajaí por maquinários utilizados para atividade de mineração”, apontou.

No vídeo de um minuto e 10 segundos, um suposto garimpeiro mostra como teria sido o processo de desvio de 130 metros do leito do rio. “São imagens fortes e tristes. Eu sou natural de Mucajaí, me criei naquele município, na beira do rio, e estou indignada e estarrecida. Não posso me calar. Não podemos ver com naturalidade essa situação”, disse emocionada ao destacar a possibilidade da disseminação de doenças, com o câncer devido à contaminação das águas pelo uso de mercúrio. “O número de casos de câncer no nosso estado é assustador. Promovo pessoalmente diversas campanhas que atendem pacientes com perucas e lenços, e tenho acompanhado de perto essa temática. É preciso olhar com mais cuidado essa situação. Mucajaí sempre bebeu água limpa, sempre teve muito peixe, e essas atividades feitas de forma ilegal e irresponsável estão matando pessoas”.

O deputado Evangelista Siqueira (PT), fez um aparte na fala da parlamentar, e ratificou a preocupação com a situação. Ele lembrou que em janeiro, quando a Assembleia Legislativa aprovou a autorização da lavra mineradora em Roraima, foi atacado em redes sociais por pessoas que apoiavam a iniciativa. Ele e Lenir Rodrigues foram os únicos deputados contrários ao projeto do Poder Executivo. Já disseram que estávamos contra as famílias trabalhadoras. Mas esse trabalho, desse jeito, não traz desenvolvimento. Um trabalho feito desse jeito traz morte. A luta por trabalho é digna e justa, mas não pode ser feita dessa maneira”, comentou reforçando a necessidade de que todas as iniciativas respeitem o meio ambiente. “O mundo inteiro falando sobre desenvolvimento ecológico e nós, em pleno coração amazônico, nos calamos diante situações como essa, apontou.

Também o deputado Nilton do Sindpol (Patriotas), apoiou a fala de Lenir Rodrigues e classificou o caso como um “retrocesso. Sabemos da questão social, desemprego, fome, pandemia, mas também não é motivo para que a gente permita que rios e igarapés sejam poluídos, e que a gente morra gradativamente, com doenças como câncer”, disse ao adiantar que vai pedir uma audiência pública para tratar da qualidade da água dos afluentes do rio Branco.

Lenir Rodrigues concluiu seu discurso afirmando entender a necessidade de trabalho das famílias que vivem em Roraima, mas salientou que é uma questão muito complexa para que suas consequências sejam minimizadas, como vem acontecendo. “Quero informar que encaminhei o vídeo para o presidente da comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Assembleia Legislativa para que seja analisado e tomadas as providências cabíveis ao Poder Legislativo. Temos que debater esse assunto antes que o resultado disso tudo seja o caos ecológico com a morte do rio Branco”, concluiu.