Projeto quer instituir programa de prevenção às doenças ocupacionais na Educação Municipal

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Estudos que investigam as doenças relacionadas ao trabalho e suas consequências à saúde do trabalhador apontam que é comum o acometimento de determinados adoecimentos associados ao exercício da profissão de educador. Problemas de coluna ou na voz, processos alérgicos, síndrome de Burnout, agressões físicas dentro da escola e patologias de cunho emocional são algumas delas.
Preocupado com essa questão e em busca de reduzir o adoecimento dos profissionais da educação, o vereador Manoel Neves (Republicanos) protocolou projeto de lei, na Câmara de Boa Vista, que pretende instituir uma política municipal de prevenção às doenças ocupacionais do professor e demais servidores da rede municipal de ensino.
Conforme a proposta, a Prefeitura de Boa Vista deverá implementar um programa que estabeleça desde o processo de esclarecimento e informação aos professores sobre os riscos de algumas doenças se manifestarem ao longo do exercício profissional, como também terá que definir métodos para prevenir esses males e encaminhar o profissional enfermo para tratamento adequado da doença.
O vereador ressalta a necessidade de se buscar a recuperação imediata desses profissionais. “Tão importante quanto discutir estratégias pedagógicas, é desenvolver um programa que trabalhe com meios de prevenir e buscar ajuda profissional especializada. Dessa forma, uma política organizada que preste informações e assistência, evidentemente, vai reduzir o número de casos de doenças ocupacionais, melhorando a vida desses profissionais e também o sistema de educação”, observa Manoel Neves.
MEMÓRIA – O vereador também é autor do projeto de lei para criação do dia municipal em memória das vítimas do holocausto a ser comemorado no dia 27 de janeiro. A data rememora o dia em que as tropas soviéticas, em 1945, entraram em Auschwitz, na Polônia, para libertar os sobreviventes do regime nazista. O grupo encontrou cerca de 7 mil pessoas, ao menos 1,1 milhão de pessoas morreram em Auschwit, entre 1941 a 1945.