You are currently viewing Secretário de Saúde é convidado para prestar informações sobre medidas contra covid-19

Secretário de Saúde é convidado para prestar informações sobre medidas contra covid-19

Os deputados estaduais aprovaram, nesta quarta-feira (3), o requerimento apresentado pelo deputado Nilton Sindpol (Patri) para convidar o secretário estadual de Saúde, Marcelo Lopes, para comparecer à Assembleia Legislativa de Roraima nesta quinta-feira (4), a partir das 9h. Os parlamentares querem informações sobre as ações realizadas pelo Estado para conter o novo coronavírus, sobre a situação nas unidades hospitalares, e os trâmites para aquisição de vacinas contra a covid-19.

Por telefone, o deputado Chico Mozart (Cidadania) conversou com o secretário, que confirmou a participação na audiência. De acordo com o deputado Nilton Sindpol (Patri), autor do requerimento, há a necessidade de se conhecer mais as atividades da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde) em relação ao combate da doença, e aos atendimentos feitos à população na Capital e no interior de Roraima.

Durante a sessão, Nilton Sindpol usou a tribuna e salientou que uma fala de Marcelo Lopes chamou a atenção, durante reunião com outros secretários de Saúde do Brasil: “Todos nós sabemos o que precisa ser feito”; e “uma terceira onda é iminente”. “O secretário de Estado declara para todos que nós estamos nessa situação e que todos sabem o que é preciso ser feito e eu não sei a que ele se referiu”, disse o parlamentar.

Para ele, há divergência sobre o que é falado pelo secretário e o que é denunciado pela população, como a falta de medicamentos básicos e a falta de leitos nos HGR (Hospital Geral de Roraima) e na Maternidade Nossa Senhora de Nazaré. “O secretário falou que medicamentos estavam sendo furtados do HGR e é preciso que a Polícia Civil, a Polícia Judiciária, esteja atenta”. Nilton Sindpol pediu a união de todos os 24 deputados estaduais, do governador e do secretário de Saúde para amenizar os efeitos da covid-19 em Roraima.

A deputada Yonny Pedrosos (SD), em aparte, ressaltou que recebe todos os dias diversas denúncias relacionadas ao sistema público de saúde e que neste momento as autoridades precisam voltar as atenções para outros casos além da covid-19. Ela relatou que denúncias apontam falta de anestesia e de linha para sutura nos partos cesáreas. “Não tenho palavras para qualificar esse atendimento. Nossos profissionais estão enfadados”, contou.

Outro parlamentar a complementar o discurso de Nilton Sindpol foi Renan Filho (Republicanos), com a informação de que esteve diversas vezes no Hospital Geral e na Maternidade, onde recebeu as demandas da população e dos profissionais de saúde e repassou ao secretário de Saúde. Entre as principais reclamações estavam a falta ou o quantitativo inferior de servidores no plantão para suprir o número de pacientes. “Hoje nenhum estado brasileiro tem tratamento adequado para covid”, destacou Renan Filho.

Para o deputado Jorge Everton (MDB), a sensação é de impotência diante da situação agravada pelo coronavírus, seja na Saúde, seja na economia do Estado. “Como parlamentar, tenho a sensação de que nós não temos muito o que fazer. Acredito que se tivesse disponível [a vacina], a classe política teria se mobilizado”, e complementou. “O erro do Brasil foi não ter investido na ciência”.

A deputada Aurelina Medeiros (Pode) defendeu a necessidade do isolamento social para diminuir o contágio e, consequentemente, as internações hospitalares. “Pedimos a contribuição para o isolamento”. Ela frisou, com relação a aquisição de vacinas, que o Governo do Estado está no consórcio para compra de vacinas e aguarda a disponibilidade para aquisição.

O deputado Gabriel Picanço (Republicanos) reforçou o pedido feito por Aurelina Medeiros. “Fome mata, desemprego mata e aí vem o problema social de assalto, roubo”. Ele recomendou que os Governos Municipal e Estadual estudem estratégias mais dinâmicas para o comércio não fecharem as portas por longo período.

Deixe uma resposta