CASO ROMANO DOS ANJOS: Governador pede que PF investigue suposto sequestro

CASO ROMANO DOS ANJOS: Governador pede que PF investigue suposto sequestro

O governador Antônio Denarium (Sem partido) pediu nesta sexta-feira, 30, que a Polícia Federal (PF) fique à frente das investigações sobre o suposto sequestro do jornalista Romano dos Anjos.

Na tarde de hoje, o governador Antonio Denarium foi até a superintendência da PF em Roraima e pediu que o órgão  acompanhe as investigações do caso, para contribuir para a lisura e transparência no processo. O governador vai solicitar oficialmente ao Ministério da Justiça.

O governador solicitou à PF auxílio na investigação após o nome dele ser citado em um depoimento dado à Polícia Civil de Roraima. Em relação aos documentos que integram o Inquérito Policial, estão em sigilo e as investigações estão em andamento.

“Quero assegurar que não tenho nenhum envolvimento nessa história.  Todos sabem do meu apreço pela classe jornalística e jamais atacaria um profissional de imprensa por exercer seu livre direito de crítica. O meu governo atuará sempre para assegurar que a democracia seja vivida de forma plena, garantindo a liberdade de imprensa, a liberdade de expressão, o direito de o jornalista exercer sua profissão mediante qualquer situação”, enfatizou Denarium.

E complementou: “Vou exigir rigorosa apuração da Polícia Civil e da Polícia Federal no caso e não permitiremos em nosso Estado intimidações, constrangimento e nenhum tipo de violência contra o profissional ou contra o cidadão. Determinei ao secretário de Segurança, coronel Edilson Prola e ao delegado geral Herbert Amorim, a apuração dos acontecimentos noticiados”.

Veja o vídeo:

‘Querem dar conotação política ao caso’, diz senador

O senador Mecias de Jesus (Republicanos) anunciou que protocolou ofício na Superintendência Regional da Polícia Federal em Roraima, para que o órgão assuma as investigações do suposto sequestro do jornalista Romano dos Anjos, ocorrido na última segunda-feira, 25, em Boa Vista.

A iniciativa do senador se deu devido seu nome também ter sido citado pelo jornalista durante o depoimento prestado à Polícia Civil de Roraima, dando a entender que poderia haver motivações políticas no crime.

“Tomei essa decisão, depois que fui informado que meu nome teria sido citado, subjetivamente, pelo jornalista Romano. Portanto, no nosso entendimento, estão querendo dar uma conotação política ao caso. E, para que se tenha total isenção, mesmo sem desqualificar e sem desmerecer a Polícia Civil, gostaria muito que a Polícia Federal assuma esse caso”, disse Mecias.

O senador contou ainda que, ao ter acesso ao depoimento, observou que houveram algumas contradições nos fatos narrados pelo jornalista, deixando dúvidas sobre a veracidade dos fatos. Mecias também observou a ligação que o jornalista tem com o ex-senador Romero Jucá, seu principal adversário político, a quem derrotou nas eleições passadas.

“O jornalista Romano foi acompanhado pelo advogado da família Jucá. O advogado de Jucá, de Teresa e de Arthur. O advogado dos meios de comunicação de Jucá.Por isso, estamos protocolando e pedindo providências à Polícia Federal”, concluiu.

Deixe uma resposta