De R$ 1,1 milhão a zero em bens: saiba o patrimônio dos candidatos à Prefeitura de Boa Vista

De R$ 1,1 milhão a zero em bens: saiba o patrimônio dos candidatos à Prefeitura de Boa Vista

Os candidatos à Prefeitura de Boa Vista nas eleições deste ano declararam à Justiça Eleitoral patrimônio que vai de zero a R$ 1,1 milhão.

Obrigatoriamente, quem disputa as eleições no país precisa fazer a declaração de bens. O prazo para partidos políticos e candidatos apresentarem o requerimento de registro de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador terminou às 19h desse sábado (26).

As candidaturas, agora, estão agora sob júdice e podem ser impugnadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O primeiro turno das eleições será realizado em 15 de novembro e o segundo está marcado para o dia 29, do mesmo mês.

Candidatos milionários

Apenas dois, entre todos os candidatos, declararam possuir patrimônio superior a R$ 1 milhão. São eles: Shéridan (PSBD) e Luciano Castro (PL). Juntos, o valor dos bens ultrapassa R$ 2,2 milhões.

A candidata com maior patrimônio declarado foi Shéridan, com R$ 1.178.499,01. A maior parte de seu patrimônio corresponde a veículos, créditos bancários e fundos de investimentos.

Chama atenção o fato de a deputada federal ter declarado, nas eleições de 2018, bens superiores a R$ 3,2 milhões, ou seja, diminuiu seu patrimônio em dois terços em pouco menos de dois anos.

Vice sem bens declarados

Também chama atenção a falta de bens declarados do atual vice-prefeito e candidato de Teresa Surita e Romero Jucá, pelo MDB, Arthur Henrique Machado.

Em 2016, quando foi eleito vice na chapa de Teresa, Arthur havia declarado à Justiça Eleitoral possuir R$ 104.950,67 em bens, entre veículos e aplicações financeiras. Quatro anos depois, porém, o patrimônio desapareceu e o candidato não declarou nenhum bem para concorrer às eleições de 2020.

Outro candidato sem bens declarados é Wilson Précoma (PCO), o último a anunciar candidatura à Prefeitura da capital. Esta é a primeira vez que o advogado disputa uma eleição.

Candidatos aumentaram patrimônio

Entre os candidatos que tiveram evolução patrimonial se destaca o vereador Linoberg Almeida (Rede). Em 2016, quando foi eleito para a Câmara Municipal de Boa Vista, o candidato possuía apenas R$70 mil em bens, entre um veículo avaliado em R$40 mil e um terreno em Santa Catarina, cujo valor era de R$ 30 mil.

Quatro anos depois, seu patrimônio chegou a R$578 mil, um crescimento de 725%. A principal razão para a evolução patrimonial foi a compra de uma casa em Boa Vista, no bairro Paraviana, avaliada em R$ 470 mil e que, conforme o candidato, foi financiada pela Caixa Econômica Federal até 2039.

Outro a ter a lista de bens aumentada em um curto período foi o candidato do PSL, Antônio Nicoletti, que declarou patrimônio de R$ 825 mil. Em 2018, quando foi eleito deputado federal, Nicoletti possuía R$ 700 mil em bens.

Veja qual o patrimônio informado ao TSE dos 11 candidatos à prefeitura da capital (em ordem alfabética).

Arthur Henrique (MDB) – Nenhum bem declarado
Fábio Almeida (Psol) – R$ 18.000,00
Gerlane Baccarin (PP) – R$ R$400.000,00
Linoberg Almeida (Rede) – R$578.000,00
Luciano Castro (PL) – R$1.074.106,62
Nicoletti (PSL) – R$825.000,00
Ottaci (SD) – R$49.000,00
Pastor Isamar (Pode) – R$611.256,05
Shaolyn Gomes (PMN) – R$70.000,00
Shéridan (PSDB) – R$1.058.499,01
Wilson Précoma (PCO) – Nenhum bem declarado

Deixe uma resposta