Marcos Jorge toma posse como secretário de Fazenda

Marcos Jorge toma posse como secretário de Fazenda

O governador Antonio Denarium empossou nesta quinta-feira (24), Marcos Jorge de Lima como titular da Sefaz (Secretaria de Fazenda). Ele entra no lugar de Marco Antônio Alves, que esteve à frente da pasta nos últimos 18 meses. O novo secretário, que já foi ministro da Indústria, foi uma escolha técnica do Governo do Estado, uma vez que ele compõe a equipe econômica desde o início da atual gestão.

O novo secretário afirma que o objetivo é dar continuidade ao bom trabalho que já vinha sendo feito.

“Fico feliz pelo novo desafio. O governador Antonio Denarium estava cercado de uma boa equipe econômica. Sempre estivemos alinhados e estamos a par de toda a estrutura econômica. Vamos focar na melhoria do ambiente de negócios para geração de empregos para fazer um trabalho cada dia melhor pelo Estado de Roraima”, afirmou Lima.

O governador Antonio Denarium afirmou que o novo gestor segue a mesma linha de conduta, prezando pela moralidade, combate à fraude corrupção e boa gestão do dinheiro público.

“Ele possui vasta experiência, foi o primeiro roraimense a ser ministro em Brasília, motivo de orgulho para o Estado. Nos auxiliou desde o início no planejamento para o pagamento de dívidas de gestões anteriores. Vamos trabalhar para ampliar a legalidade e a arrecadação do Estado, valorizando os nossos empreendedores e para atrair novos investidores”, disse o governador.

O então secretário Marco Alves esteve em Roraima desde o início da atual gestão. Passou esse tempo todo longe da família e agora retorna para Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. “Tenho orgulho do trabalho que exerci, do que aprendi e do que pude ensinar. Desejo boa sorte ao Marcos Jorge. Agradeço ao governador pela oportunidade, pelo desafio, acredito que a missão foi bem cumprida, volto pra minha terra com sensação de dever cumprido e pronto para uma nova etapa na minha vida”, declarou.

PERFIL

Marcos Jorge de Lima tem 41 anos. Antes de assumir a Sefaz, ele era titular da Seplan e também foi ministro da Indústria no governo do ex-presidente Temer.

Formado em Administração e mestre em Políticas Públicas e Gestão Governamental, foi superintendente Federal do Ministério da Pesca e Agricultura de Roraima e secretário de Cultura de Roraima.

Dentre outras funções, Marcos Jorge também foi secretário-executivo do Ministério do Esporte, titular do Conselho Deliberativo da ABNT, e dos Conselhos Fiscais da Finame e do BNDES.

Também já ocupou as funções de vice-presidente/Norte do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais da Cultura. Ele também é titular do Conselho Deliberativo da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), dos Conselhos Fiscais da Finame e do BNDES.

Carta de exoneração do secretário destaca avanços na Sefaz

À frente da Sefaz por 18 meses, Marco Antônio Alves assumiu o posto em meio a uma crise financeira sem precedentes, onde os salários dos servidores encontravam-se atrasados, greve generalizada, diversos mandados de segurança para bloqueios de recursos disponíveis nas contas do Governo, atrasos nos repasses aos Poderes e municípios e uma cultura organizacional em crise.

Dentre os destaques da gestão do então secretário Alves está o pagamento dos servidores do Estado em dia e dentro do mês em curso, conforme orientação do governador Antonio Denarium, inclusive com a elaboração de um Calendário de Pagamento.

Alves pontuou também a regularização dos repasses para as Prefeituras em dia; a regularização e repasses em dia dos duododécimos aos Poderes; a regularização dos Termos de Acordos e Convênios que estavam em atraso; a regularização dos repasses constitucionais para a Saúde e Educação; a sistematização do fluxo de pagamentos das Secretarias e Entidades da Administração Indireta, de acordo com os estágios das despesas com o seu devido empenho, liquidação e por fim, o pagamento.

Durante a gestão, Alves assegurou a arrecadação recorde do IPER (Instituto de Previdência de Roraima), fruto dos repasses integrais do Governo do Estado em dia, superando em valores os últimos 5 anos, e garantindo aos assegurados um futuro tranquilo e seguro.

“Depois de anos, o Estado de Roraima cumpriu em 2019 as metas fiscais do Plano de Ajuste Fiscal exigidas pelo Ministério da Economia, por meio da Secretaria do Tesouro Nacional e o retorno da confiança, credibilidade e respeito de sindicatos de diversas categorias e órgãos fiscais e de controle, além da expansão do benefício da Lei nº 215/98, para mais produtores rurais que atendiam os requisitos previstos, com o objetivo de estimular o agronegócio no Estado”, frisou.

Mais um avanço na gestão de Alves foi a criação de um sistema de agendamento eletrônico para atendimento na Sefaz e o desembaraço online das notas fiscais eletrônicas (NF-e), automaticamente, o que modernizou o processo.

Deixe uma resposta