Prefeita é criticada por candidato após tratar abuso de autoridade como ‘desentendimento’

Prefeita é criticada por candidato após tratar abuso de autoridade como ‘desentendimento’

Após ter recebido voz de prisão por gravar um vídeo em frente à secretaria municipal de segurança urbana e trânsito, o candidato do Psol à prefeito de Boa Vista, Fábio Almeida, foi às redes sociais criticar a postura da prefeita Teresa Surita (MDB).

Depois de minimizar o caso e tratá-lo como um ‘desentendimento’ com secretário da pasta, Raimundo Barros, Teresa afirmou que o candidato teria acusado o gestor de ter cometido crime.

“Que desentendimento foi esse em que fui agredido, tive o direito de fala cerceado e preso? qual foi o crime que cometi, Teresa?”, indagou Almeida.

Segundo ele, a Prefeitura gastou, em 2019, R$ 54 milhões de reais com a segurança no município, sendo boa parte dos recursos para atuação da Guarda Civil Municipal em policiamento ostensivo, o que não seria atribuição da entidade.

“Fui conduzido apenas por emitir minha opinião. A prefeita segue os mesmos princípios que seu secretário. É lamentável ela ir às redes sociais dizer que cometi crime. Quero que ela prove que acusei ele de algo. Criminosa é ela que me expos sem ter provas. Ela gasta mais hoje com quadro de pessoal da segurança do que na educação”, afirmou.

Almeida citou, ainda, que o secretário Raimundo Barros foi condenado pela 2ª Vara da Fazenda Pública, em março deste ano, por arquivar multas de trânsito para livrar secretários municipais autuados.

“Criminoso é seu secretário que está condenado por retirar multas de funcionários municipais dos sistemas de multa do município. Agora me diga, prefeita, por que que o cidadão condenado desde março continua secretário? por que não respeitaste o pedido dos guardas municipais que queriam a saída dele? O que te leva a sair em defesa dele quando comete um ato arbitrário? lamentável a sua posição”, criticou.

O candidato informou que, após registrar boletim de ocorrência contra o secretário, também deve denunciá-lo à justiça.

“Vou à Justiça civil. O secretario e o município irão responder por ato antidemocrático, constrangimento e prisão ilegal”.

Outro lado- A reportagem enviou demanda à Prefeitura solicitando posicionamento sobre as declarações de Fábio Almeida, e questionando em relação à situação do secretário do Smtran, Raimundo Barros. Até o momento, não houve retorno.

 

 

Deixe uma resposta