Deputados gastam R$ 356 mil em cota parlamentar durante pandemia

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

As mudanças ocasionadas pela pandemia do coronavírus na sociedade refletiu diretamente nas despesas dos deputados federais de Roraima nos meses de abril e maio. Com sessões remotas e trabalho a distância, o gasto com cota parlamentar caiu em comparação com os meses de fevereiro e março, quando a pandemia estava começando.

Em abril e maio, onde foi adotado o regime de teletrabalho com as sessões acontecendo virtualmente, sem necessidade de viagens, foram gastos R$ 352,8 mil. Esse valor é  33% menor que os R$ 528.6 mil gastos em fevereiro e março, quando a pandemia apenas começava.

O deputado Haroldo Cathedral (PSL), foi o campeão dos gastos. Foram R$33,2 mil em abril e R$ 36,1 mil em maio. Foram quatro despesas diferentes e a maior parte do dinheiro foi gasto na divulgação da atividade parlamentar (R$ 30.7 mil). Em segundo vem locação ou fretamento de veículos automotores (R$ 20 mil). O restante foi gasto com atividades voltadas a manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar (R$ 6.1 mil) e consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos (R$ 12 mil),

Outro novato que também manteve um índice alto de gastos foi o deputado federal Nicoletti (PSL), com R$ 62.8 mil. Os principais gastos foram com manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar (R$ 2.5 mil), combustíveis e lubrificantes (R$ 1.5 mil) e R$ 974,16 com telefonia. Também gastou R$ 36.6 mil com divulgação da atividade parlamentar e R$ 21.2 mil com locação ou fretamento de veículos automotores.

O deputado Édio Lopes (PR) gastou R$ 28.7 mil nos meses de abril e maio, sendo R$ 19 mil na divulgação da atividade parlamentar, R$ 2.5 mil com locação ou fretamento de veículos automotores e R$ 7.2 mil com serviço de segurança prestado por empresa especializada.

Ottaci Nascimento (SD) reduziu os gastos de R$54.6 mil para R$ 46.7 mil sendo R$10 mil na manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar, R$5.7 mil com combustíveis e lubrificantes, R$ 22 mil na divulgação da atividade parlamentar e R$9 mil na locação ou fretamento de veículos automotores.

Shéridan (PSDB) também reduziu seus gastos parlamentares de R$ 120 mil para pouco mais de R$ 44 mil. Os recursos foram gastos com manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar (R$ 1 mil), passagens aéreas (R$ 1 mil), divulgação da atividade parlamentar (R$ 30.6 mil), locação ou fretamento de veículos automotores (R$ 12 mil).

Dr. Hiran Gonçalves (PP) gastou R$43.7 mil nos meses de abril e maio. Os gastos foram com manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar (R$5.3 mil), divulgação da atividade parlamentar (R$31.7 mil), locação ou fretamento de veículos automotores (R$6 mil) e serviços postais (R$588,25.

Jhonatan de Jesus (PRB) gastou R$37.5 mil com Emissão de Bilhete Aéreo (R$ 1.1 mil), divulgação da atividade parlamentar (R$ 30 mil), locação ou fretamento de veículos automotores (R$ 5.5 mil) e serviços postais (R$ 784,08)

Joênia Wapichana (REDE) foi que menos gastou durante o período. Sendo R$ 1.1 mil com combustíveis e lubrificantes, R$ 9.1 mil com locação ou fretamento de veículos automotores e R$ 12 mil com manutenção de escritório de apoio a atividade parlamentar