Prefeita pede remédio para postos e reclama de Denarium para governo federal

Prefeita pede remédio para postos e reclama de Denarium para governo federal

A prefeita de Boa Vista, Teresa Surita, reclamou do governo de Roraima durante uma videoconferência com o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, e outros prefeitos do país.

Ela cobrou o envio de medicamentos, insumos, testes e respiradores diretamente do Ministério da Saúde para Boa Vista, sem o intermédio do governo do Estado.

“O governo recebeu 20 mil comprimidos de cloroquina e nos entregou apenas 300 caixas, que não atende um posto de saúde. Boa Vista tem 70% da população do estado e é quem enfrenta maior dificuldade com relação à saúde, aumento de casos, falta de testes, medicamentos e profissionais”, disse.

A crítica foi repetida em uma live realizada por ela em rede social. Apesar de ter mais de 1,2 milhão de seguidores, apenas cerca de 600 internautas estavam assistindo.

Prefeitura vai usar cloroquina em pacientes de boa Vista

Com o protocolo editado pelo Governo Federal para uso da cloroquina, o município vai seguir a recomendação e adquirir o medicamento. Por enquanto, a rede municipal estaria sem o remédio para pacientes com Covid.

“Nós não temos cloroquina reservada e ela sumiu do mercado. Temos o medicamento apenas para quem tem lúpus e malária. Solicitamos via oficio para o ministro que nos mande o mais rápido possível e abrimos processo para comprar de quem nos ofereça esse medicamento.

Segundo Teresa Surita, a cloroquina, no entanto, não será distribuída indiscriminadamente. O paciente precisará passar por avaliação com um profissional médico, que vai decidir se ele precisa ou não tomar o medicamento.

Após isso, o paciente deverá assinar um termo, onde deve declarar estar ciente de que o remédio não possui eficácia comprovada cientificamente e de que “não existe garantia de resultados positivos” que “não há estudos demonstrando benefícios clínicos”.

O documento afirma ainda que o paciente deve saber que a cloroquina pode causar efeitos colaterais que podem levar à “disfunção grave de órgãos, ao prolongamento da internação, à incapacidade temporária ou permanente, e até ao óbito”.

Chegada do pico e colapso no sistema de saúde

Na live onde conversou com internautas, Surita disse ainda que o pico de coronavírus ainda não chegou em Boa Vista e afirmou que se não for mantido o isolamento social, o sistema de saúde entrará em colapso.

“Não podemos passar da curva, pois vamos colapsar a capacidade de atendimento na saúde de Boa Vista. Podemos atender um número limitado de pessoas e a partir daqui não tem como atender. Nem hospital nem uti nem médicos nem equipamentos nem respiradores e agora estamos chegando nesse momento”

Hoje a capital conta com 34 unidades de saúde, mas apenas 6 unidades fazem testes para coronavírus.

80% das pessoas vão ficar doente e vão se curar e ganhar anticorpos e 20 % vão se agravar. Temos mais 20 dias de problemas sérios e dias difíceis. Fiquem em casa. Não é hora de correr, de fazer festinha, não é hora de politicagem e de informações. Temos 100 servidores na saúde afastados por doença e não poderemos atender todo mundo”

Deixe uma resposta