Deputada protocola pedido de intervenção federal na Saúde
Yonny Pedroso: “O Governo Estadual comprovou que não possui condições de gerir a Saúde e muito menos de enfrentar a pandemia do coronavírus” (Foto: Jader Sousa)

Deputada protocola pedido de intervenção federal na Saúde

A deputada estadual Yonny Pedroso (Solidariedade) protocolou, nesta segunda-feira, 4, pedido de intervenção federal na Saúde.

O pedido de intervenção federal na Saúde foi endereçado ao presidente da República, Jair Bolsonaro, edeverá ser apreciado pelo plenário da Ale, antes de ser remetido a Brasília.

Vice-presidente da Comissão da Saúde da Assembleia Legislativa de Roraima, a parlamentar fundamentou seu pedido na aquisição superfaturada de respiradores, com o pagamento antecipado.

A parlamentar cita no requerimento a incapacidade demonstrada pelo governo para gerir a saúde,  destacando a permanente troca de secretários e da falta de medicamentos, alimentação, além de equipamentos de proteção (EPIs.

“Desde que assumiu, no final do ano de 2018, o governador Antônio Denarium nomeou seis secretários de Saúde. O primeiro deles, o médico Ailton Wanderley, deixou o cargo fazendo graves denúncias de corrupção e o quarto secretário exonerado, Allan Quadros Garcês, saiu denunciando a existência de corrupção e a interferência para impedir auditoria”, relatou.

PREPARAÇÃO

Yonny Pedroso observa que a tragédia da pandemia do Coronavírus era anunciada, mas mesmo assim Roraima não se preparou para enfrentar a doença.

“Ou seja, Roraima possui um respirador mecânico para cada 4.206 mil habitantes, segundo estatísticas do Datasus, um índice abaixo da média nacional”, criticou.

A deputada relatou no pedido que no último dia 21 de abril chegaram ao Estado 50 respiradores que até agora não foram instalados.

“Isso significa que o governo não fez nem a manutenção nos respiradores existentes no Hospital Geral de Roraima consegue fazer”, acrescentou.

DILIGÊNCIA

Antes de protocolar o pedido de intervenção, a deputada esteve na sede da Sesau, em diligência, para averiguar processos emergenciais, com acesso dificultado ao Legislativo.